Dicas para a última etapa do Sesc Triathlon

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Treinamento

A temporada 2014 do Sesc Triathlon termina no próximo dia 23 em Tramandaí, litoral do Rio Grande do Sul. E apesar de os campeões já estarem definidos (Diogo Sclebin e Carol Furriela), a prova ainda valerá bastante, principalmente pelas características próprias da região gaúcha, conforme destaca a própria organização, que dá dicas para aqueles que desejam participar do evento.

Em relação às etapas anteriores (Belém, Palmas, Salvador e Fortaleza), os atletas encontrarão um clima bem mais ameno. Até por isso a expectativa é de que a prova seja a mais rápida do ano.

Uma característica única da etapa de Tramandaí é a categoria duathlon, que envolve 5km de corrida, 20km de ciclismo e mais 2,5km de corrida. Como não há natação, os treinos devem focar em alguns aspectos específicos do duathlon, como o ciclismo após a corrida. Normalmente, triatletas realizam treinos de ciclismo seguidos de treinos de corrida uma ou duas vezes por semana. Já atletas especialistas em duathlon costumam treinar um dia por semana com a corrida antes do ciclismo e um dia por semana com a corrida após o ciclismo.

leiamais-cinza-novo
iconezinho  INSRIÇÕES PARA A ETAPA DE TRAMANDAÍ VÃO ATÉ O DIA 20

Tanto para a prova do duathlon quanto para o triathlon é necessário atenção e habilidade na bike, já que o percurso conta com alguns retornos rápidos de 180 graus. Como regra geral, lembre de diminuir a velocidade enquanto ainda estiver em linha reta, evitando acionar os freios depois de ter começado a fazer a curva. A maior parte dos acidentes, acontecem, exatamente, porque os atletas acionam os freios bruscamente no meio das curvas. Assim, as rodas travam, perdem aderência e o atleta escorrega até cair no chão ou bater em algo. É importante que o atleta também esteja acostumado com o ciclismo em grupo. Como a natação é rápida, a tendência é a formação de “pelotões” maiores no ciclismo

Na natação, a roupa de neoprene é, normalmente, permitida em Tramandaí, devido à temperatura da água. Dessa forma, é preciso realizar alguns treinos com o equipamento. O ideal é realizar um treino por semana em águas abertas para se acostumar. O percurso aquático gaúcho acontece rio abaixo, seguindo a correnteza. Por isso, trata-se de uma etapa realmente veloz. O atleta deve ficar atento à saída da água, pois essa mesma correnteza pode fazer com que ele passe pelo ponto de saída. A dica é prestar atenção em relação à ponte no fim do percurso. Assim que o atleta passar sob a ponte, já deve mudar sua trajetória para o lado direito, onde é a saída da água.

Após a saída da água, a transição estará a cerca de 300m. Durante essa corrida, o atleta já pode retirar a parte de cima de sua roupa de neoprene, deixando-a na cintura, o que deixará sua transição mais eficiente.

Mesmo com condições climáticas amenas, é necessário continuar atento à hidratação. No ciclismo, o ideal é levar sua caramanhola na bike, assim o atleta terá uma preocupação a menos no circuito. Na corrida, os postos de hidratação estão distribuídos a cada 1,25km, oferecendo líquidos de forma abundante.

Por fim, um último ponto no qual os atletas devem estar atentos é a logística de retorno desde Tramandaí até o aeroporto de Porto Alegre. Com o trânsito da subida da Serra, pode-se levar mais de 2 horas nesse trajeto. Assim, programe sua saída de Tramandaí levando pelo menos 2h30 em consideração.