DivulgaçãoFoto: Divulgação

Das piscinas para o triathlon: a nova fase de Thiago Pereira

Atualizado em 06 de março de 2018
Mais em Notícias

Há quem diga que “artistas que dependem da forma física morrem duas vezes”. A primeira, quando encerram suas carreiras profissionais; a segunda, como todos os outros mortais.

Um ano depois de anunciar sua aposentadoria na natação, Thiago Pereira, um dos melhores nadadores da história do Brasil, começa a escrever o primeiro capítulo de sua nova vida no esporte. Aos 32 anos, o maior medalhista de todos os tempos dos Jogos Pan-Americanos se prepara para um novo desafio: o Ironman 70.3 de Florianópolis, marcado para o dia 22 de abril.

A ideia de migrar para o triathlon surgiu em janeiro, após a sugestão de um amigo, conta, em entrevista ao Ativo. Neste bate-papo, ele fala sobre a busca por novos desafios, os cuidados físicos na nova modalidade e a vida após a aposentadoria. Confira:

“Sede” de desafios

“Vai fazer um ano o anúncio oficial da minha aposentadoria. Essa nova atividade [o triathlon] tem a ver com o lado do esporte, mas também o lado do desafio. Eu brinquei que, depois que fiz o Dança dos Famosos [quadro do Domingão do Faustão, da rede Globo], estou aceitando novos desafios.

A ideia de fazer o Ironman surgiu em janeiro. Um grande amigo meu, o Tuca Rocha, sugeriu correr o meio Iron (70.3). Liguei para o meu médico e ele disse que dava para fazer. Sei que não sou familiarizado com o triathlon, mas tem aquela coisa do desafio.”

 

 

Iniciante na corrida

“Para falar a verdade, não tenho intimidade nenhuma. Bicicleta é até mais tranquilo. Da natação, nem preciso nem falar. Acho que esse aí vai ser o melhor de todos, né? O mais difícil mesmo vai ser a corrida, até pelo fato de eu ser um atleta que saiu da água, que quase não tem impacto. Acostumar a correr é diferente. Estou seguindo todos os princípios, como qualquer outro iniciante. Isso é até engraçado. Comecei a fazer educativo de corrida, reforço de tornozelo. Tem que ter cuidado com o joelho. Preciso estar sempre atento. A prova está chegando e não quero me machucar de forma alguma. Estou curtindo muito, pegando bem a corrida. Meu grande intuito é terminar o Ironman. Passando a linha de chegada, vamos ver qual é a próxima.”

Vida de aposentado

“É uma fase diferente da minha vida. O ano passado foi bem atípico. Foi o ano em que anunciei minha parada das competições. Foi também um ano que tirei para ver qual seria o caminho que eu gostaria de trilhar. Estou adorando fazer parte desse meio do Ironman. Entre outros planos que tenho para este ano, estou com mais uma temporada do Troféu Thiago Pereira, que já tem sete edições. Outro projeto é o Thiago Pereira Swim Camp, um lugar em que os atletas podem ir para performance. Fazemos filmagem sub-aquática, eu mostro um pouco da minha carreira, faço palestras, mostro minhas medalhas. É uma interação bem bacana.”

Nova rotina

“A carga horária é bem diferente. Dividimos em três atividades que eu tenho que fazer na semana. Tem dia com bike e treino na água, por exemplo. Eu mantenho a musculação também. Tento também intercalar um dia de massagem, um dia de fisioterapeuta… Estou com o Marcos Paulo Reis e o médico Gustavo Magliocca vendo qual é o melhor cronograma para cada semana.”