docesFoto: doces

Xô, tentação: veja os alimentos que inibem a vontade de comer

Atualizado em 24 de outubro de 2017
Mais em Nutrição

Uma importante etapa para não fugir da dieta saudável você já segue — talvez mesmo sem saber —, que é correr. Um estudo da Universidade de Aberdeen, na Grã-Bretanha, recentemente publicado no American Journal of Clinical Nutrition, mostrou que, logo após se exercitar, as pessoas estão menos propensas a comer alimentos ricos em carboidratos, açúcar e gordura. Segundo os pesquisadores, após uma atividade física intensa, o corpo precisa repor água, fazendo com que o cérebro dê preferência a alimentos mais saudáveis e frescos por entender que estes são melhor fonte do líquido.

Sabe-se também que a prática de exercícios estimula a liberação de hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar no organismo — o mesmo efeito causado pelo consumo de comidas açucaradas. Além disso, exercitar- -se ajuda a controlar fatores como o estresse e a ansiedade, diminuindo, assim, a vontade de atacar as guloseimas — já que é comum o uso de doces como forma de buscar conforto.

Entretanto, nem sempre manter os treinos de corrida em dia e adotar uma vida tranquila são suficientes para nos afastar do impulso de comer. De acordo com a nutricionista Bianca Magnelli, nosso organismo, por questões de herança genética de nossos ancestrais, tem maior tendência a gostar de alimentos hipercalóricos. “Na antiguidade, não havia facilidade na obtenção dos alimentos, e quando isso ocorria ingeria-se o máximo de calorias possível para garantir que o corpo resistisse por mais tempo aos momentos de escassez alimentar”, explica. Porém, vivemos hoje em uma era com grande oferta e facilidade em obter comida, o que nos faz, muitas vezes, abusar.

O que poucos sabem, entretanto, é que o desejo por determinado alimento nem sempre está relacionado à gula. Quando você sente muita vontade de ingerir algo, pode ser que seu corpo esteja avisando que algum nutriente está em falta no organismo. Por exemplo, se você comeu o famoso “bife com salada” e logo em seguida deu aquela vontade de comer um docinho, é porque seu corpo acusou a falta de algum carboidrato na dieta. Apesar de a refeição ter sido rica em proteína, gordura, vitaminas e sais minerais, a concentração de glicose no seu sangue pouco foi alterada, dando a sensação de saciedade incompleta.

A seguir, selecionamos algumas dicas para ajudá-lo a compreender melhor as vontades do seu corpo — sem escapar da dieta!

Vontade de Chocolate

Para driblar a vontade de comer chocolate, procure ingerir alimentos ricos em magnésio. Esse mineral ajuda na produção de serotonina, um neurotransmissor que eleva o humor, gerando uma sensação semelhante à do consumo do doce. Para os corredores, o magnésio torna-se ainda mais essencial, pois ajuda a evitar cãibra muscular e mantém um bom funcionamento dos músculos, nervos e densidade óssea, além de aliviar contusões.

Entre os alimentos ricos em magnésio estão:

  • nozes
  • avelãs
  • abacate
  • banana
  • beterraba
  • espinafre
  • grãos integrais

Contudo, caso não consiga controlar seu desejo por chocolate, opte pelos que possuem alto teor de cacau, alimento rico em antioxidantes que neutralizam a ação dos radicais livres.

Vontade de Comidas gordurosas

Um estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriu que a ingestão de gorduras faz com que o nosso intestino produza endocabinoides, substâncias naturais do cérebro que provocam desejo por mais comida gordurosa. No entanto, apesar de ser vistas sempre como inimigas, é importante destacar que as chamadas gorduras insaturadas são essenciais para o funcionamento do organismo e, quando consumidas de forma equilibrada, ajudam a evitar o desejo por opções não tão boas. Elas agem ainda no transporte de vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K), auxiliam na prevenção de doenças cardiovasculares e contribuem para reduzir os níveis de triglicerídeos e do colesterol sanguíneo.

Além dos endocabinoides, a vontade de comer pizza, hambúrguer ou outros alimentos que levem bastante queijo pode significar uma deficiência de cálcio no organismo. Apesar de serem importantes fontes desse mineral, nem todos os tipos de queijos são recomendados em uma dieta saudável. Opções como parmesão, provolone e gorgonzola possuem alto teor de gordura e de colesterol, portanto prefira os mais leves, como os brancos, cottage e ricota. “O cálcio é um nutriente essencial na prática esportiva, pois é o principal mineral que atua na formação da massa óssea, além de ser fundamental para a coagulação sanguínea e de ter um papel especial na contração muscular”, afirma Bianca.

Apesar de ainda não haver comprovação científica, um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Laval, no Canadá, constatou que quanto mais as pessoas deixavam de ingerir cálcio, mais tendiam a ficar acima do peso. Os pesquisadores creem que o organismo com deficiência desse mineral pode enviar informações de que a pessoa precisa comer mais para se manter funcionando.

Vontade de Doces

O desejo por doces pode ser sinal de que os níveis de açúcar do corpo estão desequilibrados. Quando a quantidade está abaixo da ideal, o corpo anseia por alimentos açucarados ou ricos em carboidratos simples para regular os níveis, pois estes são fonte rápida de energia. Para controlar esse desejo recomenda-se fazer refeições menores e regulares, além de equilibrar a ingestão de proteínas e fibras.

A vontade de ingerir açúcar pode estar associada também à deficiência de cromo no organismo. Quando há carência desse mineral, o corpo avisa o hipotálamo — região do cérebro responsável pelo apetite — que falta glicose na circulação, fazendo com que a pessoa busque nos carboidratos uma fonte rápida de energia que faça subir rapidamente a taxa de açúcar no sangue.

Segundo a nutricionista Priscila Di Ciero, a presença de fungos na corrente sanguínea — causada pelo desequilíbrio da flora bacteriana intestinal — também pode ser responsável pela vontade de comer açúcar, pois eles mandam sinais para o corpo pedindo a sua ingestão. “A disbiose intestinal pode levar a um crescimento exacerbado de fungos. Por isso, cuidar da saúde intestinal seguindo uma dieta correta, respeitando o tempo de descanso e evitando o uso de medicações e alimentos processados ajuda a manter a vontade de comer doce sob controle”, explica.

Consuma alimentos saudáveis ricos em:

Magnésio

Nozes, abacate, banana, beterraba, espinafre, grãos integrais, leite, soja e grão-de-bico.

Fibras

Cereais integrais, pães granulados, massas integrais, legumes e frutas.

Cálcio

Leite, ricota, cottage, queijo branco, sardinha, badejo, alfafa, acelga, couve.

Cromo

Brócolis, cereais integrais, nozes, cogumelo, soja, tomate, cebola, trigo, pão de centeio, ervilha e batata.

Gorduras boas

Peixes, azeite, ovos (gema), oleaginosas.

Proteína

Ovos, queijo, peixes, frango, carnes, iogurte e produtos de soja.

Fontes: Bianca Magnelli, nutricionista esportiva graduada pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo – USP; Priscila Di Ciero, nutricionista pós-graduada em nutrição esportiva funcional e diplomada pelo Institute for Functional Medicine (EUA).
Reportagem publicada na edição 132, de abril 2014, da revista O2