Obesidade mata mais do que fome

Atualizado em 20 de abril de 2016
Mais em Nutrição

Uma pesquisa feita em conjunto por 300 instituições e 500 cientistas revelou que, de 1990 a 2010, as mortes relacionadas à fome caíram de 3,4 milhões ao ano para 1, 4 milhão. Com a redução, o problema passou de primeiro a oitavo lugar no ranking dos principais fatores de risco à saúde da humanidade.

Remando contra a maré, as mortes por problemas relacionados à obesidade passaram por uma crescente: subiram de décimo para sexto lugar no ranking. A má alimentação, que envolve uma dieta pobre em frutas, verduras e grãos integrais, aparece na quinta posição. No topo da lista figuram pressão alta, tabagismo, uso de álcool e poluição.

O estudo da Global Burden of Disease (em português, Peso Global das Doenças), um esforço internacional de cientistas de vários países, também apontou que a expectativa de vida global dos homens subiu de 62,8 para 67,5 anos. Já entre as mulheres, o número foi de 68,1 para 73,3 anos.