O que a soja pode fazer por você?

Atualizado em 20 de setembro de 2017
Mais em Nutrição

Quem treina sabe da importância que a proteína tem para a reconstrução muscular. Durante a corrida você gasta muita energia e, por isso, precisa muito mais de proteína do que os sedentários. É ela que vai recuperar a sua musculatura depois de treinos longos, intensos e cansativos.

Para que você tenha um bom desempenho, nada melhor do que apostar na soja. Sua proteína, dentre as leguminosas, é a que mais contém o aminoácido arginina, relacionado ao aumento do óxido nítrico, que melhora o fornecimento sanguíneo para os músculos e é responsável pela vasodilatação. Isso leva a um maior aporte de nutrientes e oxigênio para a musculatura, melhorando a sua performance na corrida.

Além disso, a soja também possui ácido glutâmico, que aumenta os níveis antioxidantes no organismo. Como os atletas têm aumento da produção de radicais livres durante o exercício, esse nutriente precisa estar presente na dieta. Quer mais? O consumo de soja aumenta a captação de glicose pelos músculos, facilitando o fornecimento de energia para o treinamento.

Boas opções para que você aumente a quantidade dessa proteína vegetal na dieta são os flocos proteicos de soja produzidos pela Vittadely, produto feito à base de farinha de soja, açúcar demerara, polpa de frutas naturais e aromatizantes, além da granola proteica de soja, que originalmente mistura frutas secas, grãos, sementes e açúcar mascavo, e que nesta versão da Vittadely também contém a proteína vegetal texturizada. Esse acréscimo aumenta o teor proteico do produto. Em 40 g de granola tradicional, por exemplo, há 2g de proteína, enquanto que na granola de soja, a média é de 4g. Já os flocos proteicos de soja, quando comparados aos flocos de milho, possuem quase 5 vezes mais proteína. No teor de fibras, eles também são campeões em relação à versão tradicional, com 5,5g contra 1,5g da versão tradicional.

Por que investir na soja?
Essa é uma das principais fontes de proteína e óleo vegetal dentre os alimentos. Seus grãos apresentam cerca de 40% de proteínas, sendo que ela não reduz o pH sanguíneo, como acontece com as proteínas de origem animal por causa da toxicidade celular dos bichos. A soja ainda apresenta fibras e gorduras poli-insaturadas, que estão relacionadas à redução de índices de doenças cardiovasculares e doenças neurológicas como depressão e hiperatividade.

Rica em vitaminas do complexo B, minerais como cálcio, ferro, magnésio, fósforo, potássio, zinco, manganês, cobre e selênio, essa proteína vegetal apresenta compostos bioativos que têm ação antioxidante e desaceleram o processo de envelhecimento celular provocado pelos radicais livres. Mais: as isoflavonas presentes na soja possuem uma forma química semelhante a do hormônio estrogênio, sendo indicada para a redução dos sintomas da menopausa e da TPM.

Quem que perder peso também pode ter o alimento como aliado. Por ser rico em fibras, além de auxiliar no bom funcionamento intestinal, ele promove a sensação de saciedade. Mas não exagere: segundo a FDA (Food and Drug Administration), a recomendação de consumo diário é de 25g, o que equivale a aproximadamente 60g de grãos ou derivados de soja.

Quer apostar nos flocos proteicos e na granola proteica? Eles podem der adquiridos pelo site da Vittadely.

(Fontes: Fabiana Honda, nutricionista da PB Consultoria em Nutrição, São Paulo, Suzana Bonumá, especialista em nutrição esportiva e diretora da Food Coach, de São Paulo, e Simone Maia, nutricionista da Cia Athletica – Rio de Janeiro)