Estudo: whey protein pode fazer mal à pele

Atualizado em 05 de setembro de 2018
Mais em Nutrição

Suplemento conhecido dos atletas e de frequentadores das academias, o whey protein — elaborado a partir da proteína extraída do soro do leite — é receitado para aqueles que precisam ganhar massa muscular. Porém, um novo estudo brasileiro sugere que o consumo de whey protein pode implicar no aumento da incidência de acne. As substâncias da proteína do soro seriam as responsáveis pelo dano à pele.

O estudo, realizado pela Universidade Federal da Paraíba e publicado recentemente no U.S National Library of Medicine, investigou os efeitos que a suplementação a base de whey protein causam a pele. De acordo com o estudo, todos os participantes, depois que tomaram o suplemento, começaram a apresentar acnes.

Os pesquisadores analisaram 30 voluntários, que foram acompanhados durante 60 dias. Os voluntários foram submetidos, além da rotina normal de treinamento e de alimentação com base na suplementação, a consultas dermatológicas. Foram observados que, em mulheres e em pessoas que não possuíam histórico familiar de acne, os efeitos eram ainda maiores.

Desta forma, os pesquisadores chegaram à conclusão que isso pode ser explicado porque a proteína do leite contém substâncias que elevam a incidência de acne. No whey protein, elas estão ainda em maiores quantidades, acarretando em maiores riscos à pele do individuo.