Chá mate: energético natural para os corredores

Atualizado em 03 de outubro de 2016
Mais em Nutrição

O chá mate, tradicional de várias regiões da América do Sul, é bastante consumido no Uruguai também por esportistas – de acordo com estudos, 85% das pessoas do país consomem o produto. O motivo disso é que, além de saboroso, ele tem uma função bastante importante no desempenho atlético.

“A composição do mate é a coisa mais próxima aos energéticos que estamos acostumados a tomar”, fala Nelson Brasesco, mestre em biotecnologia e presidente do Grupo Interdisciplinar de Yerba Mate e Saúde da Universidade da República (UDELAR), no Uruguai.

Ele explica que os minerais, vitaminas e outros ingredientes presentes nas bebidas energéticas são semelhantes aos do mate. “Os primeiros energéticos foram feitos com base em guaraná e erva-mate, pois os dois podem assemelhar-se em suas propriedades”, fala.

“O mate te mantém acordado e melhora a sua atenção. Está cientificamente comprovado”, explica o especialista ao falar sobre o benefícios esportivos da erva, que pode ser utilizada, por exemplo, em corridas de aventura non-stop ou ultramaratonas em que você deve correr durante a noite, com pouco tempo de recuperação.

O poder dos primeiros mates
Ao falar sobre contraindicações do consumo de mate, Brasesco mencionou o caso de pessoas que têm sensibilidade à cafeína e que, pelo consumo de mate, podem sofrer mudanças de ritmo durante a corrida. Se trata de pessoas que quando tomam o mate sofrem reações e palpitações mais rápidas.

“Nesses casos, é aconselhável não tomar os primeiros três ou quatro mates após terem sido preparados, pois o nível de cafeína é muito mais alto e depois logo começam a perder as propriedades”, indica.

Para Brasesco, a principal advertência para todos os esportivas consumidores de mate ou não é a temperatura na qual ele é ingerido. “A água deve estar entre 70°C e 80°C”, afirma ele. “Alguns dizem que o ideal é quando começa a ferver a água. Assim, então, quando ingerida, a temperatura é de cerca de 60°C. A Organização Mundial de Saúde (OMS) advertiu recentemente do risco cancerígeno do mate em altas temperaturas. Por isso, o correto é prepará-lo dentro dos métodos de segurança no rótulo”.