Corrida: cafeína aliada à performance

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Nutrição

Usada em bebidas, tanto na forma de infusão, quanto energético, a cafeína é consumida por muitas pessoas como um estimulante, para diminuir a sensação de fadiga. De fato, esta substância possui a propriedade de atuar no sistema nervoso central para aumentar o estado de alerta e de concentração.

O café de todo dia é o de uso mais comum, mas o chá verde e o preto, além do chocolate e o guaraná, também contam com a cafeína em sua composição. Para corredores e atletas, pode ser uma excelente aliada tanto para o ganho de desempenho, quanto para acelerar o metabolismo. Mas, muitos ainda possuem dúvidas quanto ao seu benefício para o organismo.

Pesquisas mais recentes divulgadas pelo American College of Sport Medicine, dão conta de que a ingestão de 3 a 9 miligramas de cafeína por quilo de peso do corredor, uma hora antes do exercício, pode aumentar a performance tanto na corrida, como em outros esportes de longa duração.

leia-mais-cinza
icon texto_menor 
CAFEÍNA LIBERADA PARA CORREDORES
icon texto_menor ATALHOS QUE NÃO TE LEVAM A BONS RESULTADOS

Benefícios
Os benefícios da cafeína no organismo do corredor estão relacionados, principalmente, a um ganho de energia e melhor no estado de alerta. Quando consumida em doses baixas e moderada, a cafeína pode diminuir o cansaço, a sonolência e melhora a audição, visão, concentração e coordenação motora do corredor.

Se o seu objetivo é perder peso, a cafeína pode dar um empurrãozinho, já que ela ajuda a quebrar o tecido da gordura, favorecendo a eliminação de excessos e, consequentemente, um empurrão na perda de peso.

Efeitos colaterais
Apesar dos benefícios, como as intolerâncias de cada organismo variam, o consumo de cafeína pode causar alguns efeitos colaterais. Seu consumo excessivo pode trazer ansiedade, nervosismo, insônia e, até mesmo, arritmias cardíacas e perda de memória. Também pode ocasionar  o aumento da temperatura corporal do corpo, podendo prejudicar o desempenho dos corredores em treinos ou provas realizados em altas temperaturas.

Uma preocupação natural, mesmo de corredores acostumados com aquele cafezinho, é evitar a indesejável vontade de urinar, principalmente no início do treino. Felizmente, desde que haja um aumento das catecolaminas (composto do aminoácido tirosina) e menos fluxo sanguíneo nos rins, a ação diurética da cafeína diminui durante o exercício.

É importante ressaltar que estes efeitos da cafeína variam de uma pessoa para outra. Muitos podem ter, por exemplo, desconforto estomacal após ingeri-la. Em outras pessoas, ela é usada normalmente, sem ocasionar nenhum risco ou efeito colateral.

Quanto consumir?
A dosagem indicada varia de acordo com o peso, sexo e idade do atleta, mas, em média, de 3 a 6 miligramas por quilo é o indicado (Exemplo: uma pessoa de 70 kg deve ingerir de 210 a 420 mg por dia).

Contraindicação
Se você possui problemas cardíacos, alterações de humor, insônia e/ou problemas gástricos passe longe deste produto, visto que ele pode acarretar em ansiedade, nervosismo, gastrite, ulceras e arritmias, o que pode influenciar negativamente nos treinos. Caso possua alguma dúvida, vale a pena consultar um médico para saber se o uso da cafeína está liberado para você.

(Fonte: Luciana de Oliveira, nutricionista esportiva em Porto Alegre)