Shutterstock
Foto: Shutterstock

Aposte numa dieta contra lesões para uma vida longa na corrida

Atualizado em 21 de setembro de 2018
Mais em Nutrição

Uma dieta pobre, a chegada da idade e a falta de fortalecimento muscular podem causar problemas ao seu corpo que, com o passar do tempo, pode apresentar reações inflamatórias que resultam em dor. Apostar em uma dieta contra lesões pode te ajudar a evitar estes problemas.

Além disso, o exercício físico, principalmente de alta intensidade, aumenta a produção de radicais livres e a liberação de substâncias catabólicas no organismo que, em excesso, contribuem para a fadiga, a perda de massa muscular, a inflamação nas articulações, além de causar danos às células boas.

 

 

Suas articulações, geralmente conseguem suportar forças incríveis. Não é por acaso que mesmo com todo o impacto sofrido durante a corrida de rua elas continuam firmes e fortes, com exceção dos casos em que não cuidar do corpo é uma opção. 

A boa noticia, no entanto, é que você pode proteger o seu corpo escolhendo os alimentos certos a serem colocados no prato e adotar uma dieta contra lesões como forma de prevenção. Sim, a alimentação de um corredor deve ser rica em vitaminas e minerais antioxidantes, que ajudam o corpo a se manter saudável.

Os alimentos que devem estar presentes na dieta contra lesões

Pensando nos casos citados acima, listamos tudo aquilo que sempre deve estar presente na sua dieta.

Carotenoides

Responsáveis por proteger o corpo dos radicais livres, você os encontra na laranja, no tomate, na cenoura e nas abóboras.

Vitamina E

Antioxidante que protege as células do organismo, a vitamina E é importante na prevenção do envelhecimento e diminui o estresse oxidativo induzido pelo exercício. Para encontrá-la você deve apostar em óleos vegetais como o azeite, assim como em nozes e sementes.

Vitamina C

Ela está envolvida na síntese do colágeno, no desenvolvimento do tecido conjuntivo, no processo de cicatrização e na recuperação após queimaduras e ferimentos, melhorando a resistência a infecções, a absorção do ferro e o desempenho do corredor, já que melhora o metabolismo durante a corrida. Boas fontes são a goiaba, o mamão, a laranja e a acerola.

Zinco

Molécula que se liga à enzima para ativá-la, se não há a quantidade de zinco ideal no organismo, as enzimas dependentes dele não são ativadas e as reações químicas do corpo não acontecem.

É ele quem faz o organismo funcionar de forma correta, melhora o sistema imunológico e reduz a incidência de infecções do trato respiratório de atletas que fazem treinamentos intensos. Para encontrá-lo em abundância, coma ostras, carne, iogurte e os cereais enriquecidos.

Ômegas 3 e 6

Elas oferecem um grande benefício para os atletas que praticam exercício de uma forma regular, pois aumentam a produção de compostos anti-inflamatórios, tornando-se indispensáveis para prevenir e tratar as típicas inflamações articulares. Os peixes são suas melhores fontes.

Colágeno

Extremamente importante para as articulações, o colágeno é uma proteína que proporciona sustentação às células, mantendo-as unidas e sendo o principal componente protéico de órgãos como a pele, os ossos, as cartilagens, os ligamentos, os vasos sanguíneos e os tendões. Alimentos de origem animal, como carnes, queijos, iogurtes e leite são ricos em colágeno.

*Fonte: Patrícia Pinesi (CRN – 3 33050), nutricionista da Clínica Maria Fernanda Barca em São Paulo.