Nado peito: pernadas extras liberadas

Atualizado em 20 de abril de 2016
Mais em Treinamento

A pernada de borboleta na execução da filipina, no nado peito, poderá ser executada em qualquer momento antes do início do nado. O movimento era permitido somente após o início da braçada. Esta foi uma das principais mudanças anunciadas no Congresso Mundial da FINA (Federação Internacional de Natação), realizado do dia 29 de novembro a 1 de dezembro em Doha, no Catar.

Essa foi a alternativa mais viável encontrada pela FINA diante da dificuldade encontrada pela arbitragem para analisar algum movimento ilegal no nado peito. Geralmente, as irregularidades acontecem no splash de entrada, momento onde os nadadores fazem múltiplas pernadas para sair na frente. Atualmente os juízes tentam vigiar as pernadas com a ajuda de uma câmera subaquática.

A nova regra libera ilimitadas golfinhadas até os 15 metros iniciais e, se estivesse em vigor há, pelo menos, dois anos, poderia evitar discussões polêmicas. A mais famosa envolveu o campeão olímpico e recordista mundial Cameron Van de Burgh durante as Olimpíadas de Londres, em 2012.

Após a vitória e recorde mundial estabelecido nos 100 m peito, o sul-africano admitiu à imprensa que executou pernadas extras nos primeiros 15 metros. Como as câmeras não detectaram os movimentos, ele permaneceu com a medalha de ouro.

Confira todas as mudanças estabelecidas pela FINA aqui.