CBDA define critérios para nadadores no Mundial

Atualizado em 29 de julho de 2016
Mais em Notícias

A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos definiu os critérios para formação da seleção de natação que competirá no Mundial dos Esportes Aquáticos da FINA, de 24 a 31 de julho, em Xangai, na China.

O Mundial dos Esportes Aquáticos reúne a cada dois anos todas as modalidades geridas pela Federação Internacional de Natação (além da natação, maratonas aquáticas, nado sincronizado, pólo aquático e saltos ornamentais)

Os tempos que os nadadores precisam alcançar para competirem na China em provas individuais são fortes e foram aprovados previamente pelos seis técnicos membros do Conselho Técnico Permanente – Alberto Silva, Arilson Silva, Fernando Vanzella, Marcos Veiga, Luiz Raphael e Márcio Latuf.

“Estabelecemos tempos mais fortes que o índice A da FINA porque fizemos um estudo em cima dos tempos obtidos nas principais competições dos últimos anos e entendemos que os tempos indicados pela Federação Internacional estão aquém da evolução alcançada e do atual crescimento da natação brasileira. Se quisermos obter resultados cada vez melhores, temos que levar um time condizente com a realidade do campeonato”, disse o superintendente técnico da CBDA, prof. Ricardo de Moura.

Para as provas não olímpicas, ou seja, 50m estilos (borboleta, peito e costas), 800m livre masculino e 1500m livre feminino, foi estabelecido como índice o 10° lugar do ranking da FINA de 2010. Só estarão convocados para elas os que também tiverem índices em provas do programa olímpico.

Os revezamentos serão formados pelos quatro melhores tempos das respectivas provas individuais. A exceção é o 4x200m livre feminino, que não participou das últimas edições de mundiais e terá um índice que precisa ser alcançado pela soma das quatro melhores da prova de 200m livre.

Os atletas serão avaliados pelo desempenho em três competições, uma já realizada – Torneio Pan-Pacífico, em agosto do ano passado – a Tentativa Mundial e o Troféu Maria Lenk, respectivamente, em abril e maio.

A novidade fica por conta da seletiva exclusiva para obtenção de índices: A Tentativa para o Campeonato Mundial de Natação. A estratégia é ter a mesma situação ocorrida com o Mundial em Piscina Curta de Dubai, quando a etapa brasileira da Copa do Mundo aconteceu muito pouco tempo antes do Troféu José Finkel.

Os atletas que estiverem entre os 30 melhores índices técnicos do país participarão à custa da CBDA, mas a competição é aberta para participação por conta própria aos que figuram entre os 16 primeiros colocados no Troféu Maria Lenk e José Finkel 2010.