Brasil é bronze em Dubai no revezamento 4x100m

Atualizado em 29 de julho de 2016
Mais em Notícias

O Brasil conquistou nesta quarta (15) sua primeira medalha no Mundial em Piscina Curta de Dubai, no revezamento 4x100m livre. Nicholas Santos (47s33), Cesar Cielo (45s08), Marcelo Chierighini (47s02) e Nicolas Oliveira (46s31) marcaram 3m05s74 e levaram a medalha de bronze e superaram o próprio recorde sul-americano feito mais cedo nas eliminatórias (3m08s71). Os franceses venceram a disputa em Dubai com recorde de campeonato (3m04s78), seguidos pelos russos (3m04s82).

A prova foi emocionante, com todos os oito finalistas em algum momento figurando entre os três primeiros. O Brasil chegou a estar em sexto, mas conseguiu uma reação impressionante.

“Foi muita adrenalina, muita emoção na hora. Eu tava querendo empurrar o Nilo (Nicolas Oliveira) na água, mas foi emocionante conseguir essa medalha do lado do meus amigos. Foi um bom começo colocar o revezamento outra vez no pódio. Talentos individuais vários países têm, mas o revezamento é que fortalece como grupo. Muito bom pra tentar chegar na Olimpíada também com revezamento forte”, disse Cielo.

Nicolas Oliveira ficou com a responsabilidade de fechar a prova e por pouco não foi alcançado pelo americano Ryan Lochte. “Caí na água, fechei o olho e nem vi a colocação. Já não é a primeira vez que fecho essa prova e é mesmo uma responsabilidade grande, mas graças a Deus deu tudo certo”, disse Nicolas, que também superou dores no ombro e uma crise de pressão alta após as eliminatórias.

O dia de estreia do Brasil teve também outras boas performances e o país já tem a chance de levar outras três medalhas na final desta quinta-feira com Guilherme Guido, Felipe França Silva e Kaio Márcio.

Guilherme Guido está na final dos 100m costas com o quinto tempo (50s83) e empolgado por um bom resultado na final desta quinta-feira. Felipe França ficou com o segundo tempo da prova, 57s19, empatado com o sul-africano Cameron Van Der Burgh, recordista mundial da distância. O melhor da fase semifinal foi o americano Mihail Alexandrov (57s18).

Kaio Márcio é mais um do Brasil com grandes chances de subir pela segunda vez no pódio do Mundial em Piscina Curta. Ele foi campeão em 2006 nos 100m borboleta e agora entra com o terceiro melhor tempo na final da mesma prova (50s52).

“Errei a chegada, então acho que ainda dá para melhor bastante pra final. Essa é uma prova que precisa de descanso, então tenho um dia pra me recuperar e vir com tudo pra final”.

Kaio Márcio Almeida trouxe uma novidade para a prova, a respiração lateral no nado borboleta. Kaio é único atleta de nível internacional que adota a respiração lateral atualmente. A mudança é inspirada no estilo de Denis Pankratov, nadador russo campeão olímpico nos 100m e 200m borboleta nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996. “Respirando de lado consigo me manter mais reto em relação ao nível da água e isso também diminui o atrito”, explicou. A primeira vez que o atleta competiu com respiração lateral foi no Campeonato Carioca, este ano.