Incômodos na silhueta da mulher: xô celulite!

Atualizado em 20 de setembro de 2016
Mais em Mulher

Por Leticia Lima

É na adolescência que se inicia a transformação do corpo da mulher — e também grandes oscilações hormonais. A partir desse momento, durante a formação do corpo, algumas mulheres passam a sofrer com pequenos problemas, que vão desde o surgimento de celulite e estrias em pontos específicos até pequenas deformações na silhueta. A boa notícia, entretanto, é que a corrida pode ser um bom remédio para combater esses incômodos na silhueta da mulher…

CELULITE
A celulite surge por conta de um acúmulo de gordura, água e toxinas nas células, fazendo com que fiquem cheias e endurecidas e causando desníveis locas, manifestados por “furinhos” na pele. “São vários fatores que favorecem o surgimento da celulite, mas o principal é excesso de gordura corporal”, diz a dermatologista Tatiana Steiner. Outro ponto determinante é a má alimentação. “Produtos industrializados, carboidratos simples, corantes, conservantes e aditivos químicos favorecem a inflamação das células”, completa a nutricionista Talitta Maciel. A corrida, por promover a diminuição da gordura corporal e motivar a busca por uma dieta equilibrada, contribui para a prevenção e até ajuda a diminuir as marcas.

FLACIDEZ
A flacidez da pele é gerada por fatores genéticos, ambientais e pela ausência de exercícios físicos. Como santo remédio, a corrida tem influência benéfica e auxilia no combate ao problema. “São dois os motivos para isso: fibras musculares mais firmes e tonificadas e melhora da irrigação na pele”, afirma Tatiana Steiner. Com os treinos, a mulher pode perceber, sobretudo nas regiões do core, glúteos e pernas um ganho de firmeza. Aqui, também, a alimentação tem influência e incluir no cardápio proteínas completas (ovos, carnes e peixes), além de alimentos ricos em magnésico, como feijão e grão-de-bico, que favorecem a síntese de colágeno, é uma boa pedida.

ESTRIAS
As estrias são fissuras da pele formadas por sua distensão excessiva e podem aparecer pelo crescimento rápido, aumento de peso, gravidez ou até inchaço de TPM. “Elas não têm cura, mas dependendo da fase e do tratamento é possível conseguir uma melhora próxima a 100%”, diz Tatiana. Especialistas recomendam a corrida no processo de combate ao problema por conta do estímulo à circulação sanguínea, sobretudo em lugares bastante afetados, como pernas e glúteos, o que facilita o desaparecimento das marcas. Incluir na alimentação proteínas completas é uma boa pedida, pois ajudam na formação do colágeno.

CULOTE
O culote nada mais é do que a famosa “gordura localizada”, última a desaparecer durante o processo de emagrecimento, e que afeta principalmente regiões como glúteos e quadril. A ideia de “secar” apenas nesses pontos, porém, é um mito, já que o corpo não “escolhe” que gordura queimar. “Se a pessoa busca o emagrecimento, ela perde gorduras de maneira geral e não apenas as que se acumularam no culote”, diz Tatiana. A corrida é de grande auxílio nesse processo, por aumentar o gasto calórico por conta do aceleramento do metabolismo — o que promove o uso da gordura (inclusive a dos culotes) como fonte de energia.

(Matéria publicada na revista O2 Por Minuto – edição 149 – outubro de 2015)