Mulheres são mais ritmadas que os homens

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Mulher

Quando se trata de uma maratona, manter o ritmo é ideal para que você consiga cruzar a linha de chegada. A velocidade que será impressa na corrida deve ser a mesma que foi usada nos treinos longos de preparação para a prova. Porém, as mulheres são muito mais equilibradas do que os homens quando se trata de manter o ritmo nos 42 km. Pelo menos, é o que indica um estudo realizado pela Marquette University, da Mayo Clinic e da Grand Valley State University, ambas nos Estados Unidos.

leia_mais
icon texto_menor DE CORPO E ALMA

Nele, pesquisadores reuniram dados de concluintes em 14 maratonas, desde provas mais populares, como a de Chicago e a da Disney, até provas menores. As pesquisas foram realizadas em diferentes condições: calor, frio, asfalto plano ou traçado ondulado. No total, foram captadas informações sobre os tempos de 91.929 concluintes, de todas as faixas etárias; 42% eram mulheres.

Desta maneira, os pesquisadores analisaram o tempo de cada corredor na maratona e o seu tempo final, e levantaram duas hipóteses: a primeira é a de que, se o corredor faz a segunda parte mais ou menos no mesmo tempo em que correu a primeira, é porque conseguiu calibrar bem o esforço, mantendo um ritmo semelhante em todo o percurso. Já a segunda hipótese é  a de que, se reduziu o tempo na segunda etapa, fazendo o que se chama de “split negativo”, o corredor é um atleta de elite, que conhece a si mesmo e da aplicação de forças durante a prova.

Com informações sobre 2.929 concluintes de algumas provas ao longo de anos, os pesquisadores chegaram a seguinte conclusão: nomeando aqueles que fazem a segunda etapa da maratona mais lenta do que a primeira de “redutores pesados”, cerca de 14% dos concluintes homens se enquadram nessa categoria, contra apenas 5% das mulheres.

Isso implica que, independente do número de provas no currículo, a diferença entre mulheres e homens se mantinha. Ou seja: mesmo ambos tendo a mesma experiência nas maratonas e apresentando a mesma diferença de ritmo inicialmente registrada, os homens reduzem mais a segunda etapa dos que as mulheres, que mantêm ritmo mais constante.