Bio surf yoga: para treinar força, core e equilíbrio

Atualizado em 20 de abril de 2016
Mais em Treinamento

Se você gosta de meditar e/ou surfar, mas não tem tempo, por meio do Bio Surf Yoga será possível fazer as duas atividades quase simultaneamente de modo diferente e divertido. Tendência mundial, a modalidade chega ao Brasil e mistura movimentos do surfe com a yoga, com o objetivo de aproveitar a instabilidade da prancha para trabalhar a musculatura da região do core (grupo de músculos que forma o abdômen), além dos braços e pernas. Por meio dos exercícios também é possível treinar o equilíbrio, o deslocamento do corpo e a força.

A aula de Bio Surf Yoga dura 90 minutos e é dividida em três partes: sentado, quatro apoios e em pé. Conforme as fases passam, a dificuldade e intensidade aumentam.

Durante os exercícios de surfe, o praticante fica em cima de uma prancha, parecida com a do esporte, além do bosu, plataforma de trabalho funcional que fica embaixo da prancha, onde são realizados vários exercícios. O bosu parece uma bola cortada ao meio e é composto por uma parte rígida estável e outra semicircular elástica e instável.

É o bosu que define o nível de intensidade dos exercícios: que pode ser fácil (sem ele, apenas com a prancha apoiada no chão); intermediário (com dois, um em cada ponta da prancha); e difícil (com apenas um, no meio da prancha).

Já na parte da yoga, primeiramente são realizadas posturas tradicionais, como Sukasana (pernas cruzadas sobre a prancha) e Dandasana (pernas estendidas e juntas sobre a prancha e coluna ereta), seguidos pelas posturas  Adho Muka Swanasana (mãos e pés em cima da prancha, formando um triângulo) e Goasana (mãos e joelhos no chão como se fosse uma mesa). A atividade termina com a Tadasana (em pé, braços ao lado do corpo) e Vrikshasana (colocar o pé na lateral da perna que está apoiada na prancha).