6 dicas para escolher um personal trainer

Atualizado em 20 de abril de 2016
Mais em Treinamento

Se o seu objetivo é entrar em forma, é necessário muita disciplina. E para ajudar você a chegar lá, não há ninguém melhor do que o personal trainer, profissional que conhece os atalhos dessa jornada até o corpo perfeito. Mas fique atento. Nem todos os instrutores físicos estão preparados. A seguir, veja algumas dicas para não errar na hora de escolher este profissional.

Contrate um profissional habilitado e formado na área de educação física

A profissão “personal trainer” deve ser exercida por uma pessoa formada em Educação Física. Existem ex-atletas ou praticantes assíduos de musculação que atuam na área sem formação.

Procure conhecer seu currículo ou a academia onde atua

As grandes redes de academias já atuam com instrutores capacitados e habilitados. Isso facilita na escolha do educador físico contratado para o serviço de personal trainer. Caso busque um profissional para trabalhar fora do ambiente de academia, veja no site do CREF (Conselho Regional de Educação Física) se ele está habilitado ou não para exercer a função e exija que mostre o currículo.

Peça indicação

Como o serviço de personal trainer está em alta, é boa ideia conversar com seus colegas. Peça informações para saber como ele atua e faça uma aula teste, pois é muito interessante conhecer o profissional, perceber como é o seu trabalho e, principalmente, como será seu comportamento durante o treino. Caso não tenha nenhuma indicação, é possível recorrer às assessorias voltadas para o ramo de atividade física, criadas, geralmente, por profissionais de muita experiência no mercado.

Conhecimento: teórico x prático

Apesar de possuírem um currículo invejável, com muitos cursos e palestras, alguns profissionais nem sempre tem experiência na prática. Na hora de ministrar as aulas, a falta de habilidade atrapalha a condução do treino, que se torna monótono e frustrante para o aluno.

A expectativa sempre é de que o instrutor ajudará a trazer o resultado em poucos dias. Portanto, é interessante que o profissional conheça bem o objetivo do aluno e, junto com ele, trace metas atingíveis. Se possível, explique como será todo o processo de treinamento, antecipando possíveis mudanças durante o tempo que foi contratado.

Valor da aula

 Procure fazer uma pesquisa sobre o mercado e quanto custa a hora/aula na média. Fique ciente, também, que nem sempre o mais caro é o melhor. Também, há muitos profissionais que cobram pelo planejamento total e não por aula, algo que pode ser mais atrativo para o cliente.

Já outros recorrem a parcerias com nutricionistas, lojas de suplementos e clínicas médicas. Isso mostra o amadurecimento do profissional, pois, com a orientação adequada de profissionais de outras áreas, o resultado pode aparecer mais facilmente.

Profissional bom x profissional ruim

Um personal trainer qualificado pode trazer benefícios para o resto de sua vida. Apenas, tome cuidado para não contratar qualquer um. Existem casos onde o cliente, para reverter um quadro lesivo causado por um mau profissional, teve que gastar mais dinheiro com sua recuperação do que se tivesse contratado um instrutor físico sério e de qualidade.

(Fonte: Ricardo Sousa, professor da academia Bio Ritmo – São Paulo)