Volta: rebordosa pós-Amsterdã

Atualizado em 14 de novembro de 2014
Mais em Experts

Você treinou durante meses a fio. Encarou chuva, sol, cansaço, lesões, tiros… Aí, você vai pra prova e não atinge seus objetivos.Tristeza, frustração, raiva,autopiedade, choro, dor. Qualquer que tenha sido sua reação, o fato é que esse ciclo se fechou. Acabou.

Uma ou duas semanas comendo e bebendo de tudo, descansando, e aí é hora de voltar.

Não importa se a culpa foi do clima, dos problemas pessoais, de saúde. O fato é que o objetivo não foi alcançado e você esta chateado. Como voltar? Esse é um daqueles momentos na vida que diferencia os apaixonados por esportes dos simples praticantes. É o momento de entrar em cena um elemento essencial, que nos move em todas as dimensões de nossa vida: a motivação.

Passei duas semanas juntando os cacos, pois não atingi o tempo almejado na maratona de Amsterdã. Dei-me o direito de uma certa melancolia, mas sem autopiedade. Mas, quando voltei ao Brasil, já estava com o plano traçado para meu próximo objetivo: o Meio Ironman de San Diego (EUA).

Não é tão fácil recomeçar, mas a cada dia que passa os motivados sentem sua força crescendo e a frustração diminuindo. Afinal, o que não nos mata, nos fortalece.