Principais lesões em corredores iniciantes

Atualizado em 10 de novembro de 2014
Mais em Experts

Olá pessoal, já estamos no nosso terceiro mês e você, que acompanha este blog, tem percebido que com o passar do tempo e com treinamento, nosso condicionamento vai melhorando gradativamente. Certamente, o treino que você realiza hoje é diferente de três meses atrás.

Se você nunca correu e, hoje, já ensaia os primeiros trotes, deve perceber esta evolução ainda maior… E aí está o primeiro perigo. No início, nossa evolução é muito rápida e, logo, conseguimos ir muito mais longe e/ou mais rápido. Mas isso não significa que nosso corpo está preparado para tal esforço.

Gosto de utilizar a musculação como exemplo e traço um paralelo com a corrida. Quem já foi a uma academia deve lembrar que nos primeiros dias, normalmente, nosso treino é bem leve e chamado de ADAPTAÇÃO. Permanecemos com esse treino, de três a quatro semanas, até que todo nosso corpo assimile o esforço e consiga se reestabelecer. Em seguida, mudam alguns exercícios e os pesos são acrescidos, porém vamos realizar este mesmo treino por em média três a quatro semanas, para que tenhamos uma adaptação neuromuscular e possamos, novamente, evoluir.

Na corrida não é diferente. Se você nunca correu, comece caminhando 30 minutos, de três a quatro semana. Na semana seguinte, aumente de 10 a 15% este volume ou a intensidade (velocidade). Tire da cabeça a falsa ideia de evolução a cada treino, nosso corpo precisa de um tempo para se adaptar a novos estímulos e assim poder evoluir, respeite sua individualidade e o limite do corpo.

Normalmente, as primeiras lesões ocorrem por excesso de treinamento, ou por falta de planejamento ou muita motivação. E os membros inferiores são os mais acometidos.

Entre nossos alunos, temos visto que a fraqueza muscular associada a baixa flexibilidade tem sido a maior causa de lesões durante a corrida. Por isso, leve a sério um bom planejamento e não espere a dor chegar para pensar em realizar um trabalho de força, como musculação ou treinamento funcional e de manter os alongamentos em dia para uma boa flexibilidade.

Na caminhada já podemos sentir a musculatura do tibial anterior trabalhando e as primeiras contraturas podem surgir, mas com a diminuição da velocidade e alongamento logo passa.

Entre os corredores, a canelite, seguida por fratura por estresse na tíbia, está intimamente ligada a excesso de treinamento, principalmente, em terrenos com piso muito duro como asfalto e concreto, e o tratamento inclui redução drástica no volume semanal até interrupção do treinamento.

Entre as mulheres, a tendinite patelar tem sido muito recorrente. O fator genético feminino por ter o quadril mais largo, faz com que as pernas tenham um formato em forma de X, com os joelhos se aproximando e os pés se afastando, conhecido como genovalgo, o que induz a patela a ter um movimento não-uniforme, friccionando sobre o fêmur ocasionando desgaste da articulação em diferentes níveis. A instabilidade articular devido à falta de simetria no movimento está relacionada ao encurtamento de um grupo muscular e, normalmente, uma diferença na geração de força entre a lateral e parte interna da coxa.

As tendinopatias são mais comuns em corredores de provas mais longas por estarem relacionadas ao excesso de treinamento ou aumento abrupto no volume ou intensidade, ocasionando uma maior exigência dos mesmos, gerando inflamação nessa estrutura que prende os músculos aos ossos. As causas podem ser variadas, desde erro no treinamento ou calçado inadequado, até o tabagismo.

Como podem ver não há uma regra para o surgimento das lesões, causando dor e desconforto e, normalmente, impedindo a continuidade no treinamento. Então, fiquem ligados aos sinais do corpo e não espere o pior acontecer para procurar ajuda. Tenha um médico de confiança ou um fisioterapeuta para consultar o mais breve possível e lembre-se que uma prescrição de exercício por profissionais capacitados diminui, consideravelmente, o risco de lesões.

Agora, é só colocar os tênis e sair para correr sabendo ouvir o seu corpo!

Bons treinos e até a próxima!