Preparação do coração

Atualizado em 13 de julho de 2018
Mais em Experts

Os inúmeros esportes existentes requerem habilidades que necessitam de várias capacidades físicas atuando ao mesmo tempo. Exigem do coração, por exemplo, um esforço muito grande. Isso porque a performance técnica depende do envolvimento deste músculo estupendo, que tem de promover, o tempo todo, o necessário abastecimento de nutrientes e oxigênio aos variadíssimos músculos que estão trabalhando.

Nas práticas esportivas, o praticante está em movimento constante, o que coloca o seu organismo em constante débito de oxigênio. É muito fácil de entender: os deslocamentos são muito rápidos, gastando assim muito oxigênio, pois exigem trabalho contínuo dos grandes grupos musculares. Entretanto, não há tempo suficiente para o necessário alimento desses músculos todos. Ou seja, a pessoa pode não ter tempo para respirar e abastecer a circulação sanguínea, algo necessário em cada deslocamento.

Cada modalidade esportiva promove em seu coração um débito cardíaco maior ou menor, mas sempre haverá débito. Se você notar os deslocamentos do tênis, basquete, handebol, futebol etc., perceberá que o atleta sempre estará em débito de oxigênio, pois isso é próprio de qualquer esporte. Isso porque os deslocamentos são muito rápidos e fica difícil de alimentar todos os gastos.

E como o débito de oxigênio está presente em todos os esportes, é fundamental para os atletas — não somente para a saúde como também para a própria performance — realizarem um trabalho de sustentação. Pela facilidade de controle do equilíbrio de oxigênio, a corrida é uma atividade perfeita e mais indicada para este fim, e deve ser complementar a qualquer prática esportiva.

Se conseguir aumentar o volume sistólico, isto é, o volume de sangue que sai do coração em cada bombeada, o atleta irá aumentar a sua resistência em qualquer esporte. Saindo do coração um volume maior de sangue (carregando bem mais oxigênio), o esportista renderá muito mais. Por isso, repito: é de fundamental importância para os jovens realizarem, antes do início da prática de qualquer esporte, um bom programa de corridas em equilíbrio de oxigênio. Deveriam tomar muito cuidado com isso todas as pessoas que trabalham com qualquer tipo de atividade competitiva, desenvolvendo nos jovens um bom trabalho cardiovascular.

O trabalho de base forma o lastro cardiopulmonar, importante para que a pessoa desenvolva, inclusive, um bom desempenho técnico. Os jovens que, desde cedo, experimentam caminhadas e depois corridas têm, automaticamente, maior aporte de oxigênio para todos os tecidos do corpo. Têm, assim, um coração mais preparado, ganhando em desempenho, sim, mas também uma vida longa e saudável.

*Por Nuno Cobra