Corrida de rua: desafio

Atualizado em 03 de setembro de 2014
Mais em Experts

Minha intenção neste espaço é expressar o meu ponto de vista e um pouco do que acredito. Sempre, com embasamento científico ou prático. Digo isso, pois muitas vezes a teoria não se assemelha com a prática.

Pratico corrida de rua há, apenas, cinco anos. Mas, sempre, gostei de correr. Ainda na escola, obtive alguns resultados expressivos, nas olimpíadas do colégio (e nada mais). Cheguei a ser campeão no futebol, como goleiro… vice no basquete, e terceiro no voleibol. Mas o que sempre me atraiu foi a corrida. E foi com ela que consegui a primeira colocação. Só dependia de mim e dei o meu melhor, naquele momento.

Difícil explicar o porquê da escolhe da corrida. Mas lembro de que, no prédio, tinha um vizinho um ano mais velho que corria feito uma flecha. Eu nunca ganhei dele, mas apostava corrida praticamente toda semana. Onde quero chegar? Toda esta história é para dizer que o que me motivava era o DESAFIO que eu criei. Talvez, eu soubesse que não ia ganhar dele, mas eu percebia que a distância entre nós ia diminuindo com o passar do tempo… E por mais que não chegasse na frente dele, eu estava cada vez mais perto. E, aquilo era pra mim o mais expressivo resultado, era eu contra eu mesmo. E ele era, apenas, meu coelho.

Ao longo de dois anos à frente da Winners Assessoria Esportiva, tive a oportunidade de conhecer muitas pessoas. Cada uma com sua história vida, seu histórico de atividade física, ou não, e com seus sonhos. Alguns estão até hoje treinando conosco. Outros, não passaram da primeira semana.

O que me intriga é que todos venceram a primeira barreira, eles entraram em contato, eles agendaram uma avaliação física, tiveram que abdicar de um horário de trabalho ou de lazer para realizar todo este processo inicial, mas alguns não conseguiram se desafiar, empacaram na primeira dificuldade. Quem corre sabe que os primeiros metros são os mais difíceis, o corpo não está acostumado aos movimentos cíclicos da caminhada e da corrida, o coração parece que vai saltar pela boca, quase não sentimos o ar entrar nos pulmões… Mas a sensação de vencer esta barreira é muito mais prazerosa do que um prato de lasanha a bolonhesa em frente à televisão.

Então, eu gostaria de finalizar nossa conversa desafiando você: seja começando a caminhar ou correr, ou criar uma meta, a completar a sua primeira prova, a baixar o seu tempo, ou quem sabe trazer um amigo, ou familiar para te acompanhar. Foi com este pensamento que eu aceitei escrever aqui. Não sou o dono da verdade, mas poder compartilhar um pouco do que sei, e aprender com vocês, é o meu desafio.

No próximo post, falarei sobre as primeiras dificuldades do corredor iniciante e como enfrentá-las. Fiquem ligados! Deixe seu depoimento nos comentários, será um prazer responder um a um.

Forte abraço a todos e ótimos treinos!