Controle a intensidade

Atualizado em 13 de julho de 2018
Mais em Experts

A intensidade que você coloca em sua atividade física é sem dúvida o elemento mais importante entre todos os outros. Se ela for adequada ao seu momento, você terá todos os incríveis benefícios com este trabalho. O seu organismo ficará muito feliz e festejará aquilo que vem para torná-lo melhor, mais atuante e poderoso. Se infelizmente essa intensidade estiver aquém da necessária frequência cardíaca para que o seu coração reaja e se desenvolva, você estará apenas perdendo o seu tempo, pois nada ocorrerá para elevá-lo e desenvolvê-lo mais. Ao contrário, se esta for mais forte do que a ideal, você estará jogando todo o esforço fora, pois haverá mais prejuízos do que benefícios.

Tanto abaixo ou acima de sua faixa de trabalho, tudo estará sendo inútil, com o agravante de que se for acima estará produzindo muitos radicais livres — o que o envelhecerá mais rapidamente, além de poder propiciar lesões futuras. Daí a importância de se escolher a intensidade correta para a sua atividade física.

A caminhada e a corrida são elementos preciosos no aumento da qualidade de vida. Além dos bens físicos para a melhoria da sua saúde, elas proporcionam acentuados benefícios ao seu cérebro, melhorando até a qualidade da sua inteligência. Além de tudo isso, elas incrementam o seu sistema imunológico, afastando-o das doenças. Mas para que tudo isso ocorra, digo novamente: é necessário saber usar a intensidade correta em seu treinamento.

Décadas atrás era muito difícil explicar isso, já que havia menos informação e, para muitos, correr disparado como um louco era festejado. Não interessava muito a respiração, se estava ofegante ou em equilíbrio. No passado parecia ser interessante correr provocando sofrimento no corpo, para melhorar seu rendimento. Mas hoje há muito mais informações e estudos sobre corrida — e, por isso, fico espantado com muitos treinadores que deixam de lado este importante aspecto que é a intensidade.

Não existe nenhuma outra prática esportiva que possibilite maior controle sobre a intensidade do trabalho com o corpo como a corrida. Se tomarmos todos os outros esportes, eles sempre estão relacionados com algo fora de seu controle, seja uma bola de tênis, de futebol, basquete ou voleibol. A pessoa está sempre subjugada à intensidade do jogo. Já na corrida cada pessoa pode colocar a intensidade que seja a ideal ao seu estado cardiovascular.

Se a intensidade da corrida está unicamente em suas mãos, por que realizá-la em distonia com a sua capacidade de colocar o oxigênio em seus pulmões? Vejo pessoas correndo por aí em pronunciado débito de oxigênio, aparentando estar querendo fazer mal para si mesmas, maltratando o seu corpo.

Não tenha pressa. O seu organismo é mágico e vai fazer com que, com o tempo, você melhore de forma natural, em uma velocidade cada vez maior. Acredite, não há nenhuma necessidade de sofrer. Tudo vai ocorrer gradativamente, como ocorre com os meus pupilos, que treinam comigo. Eles acabam lá na frente correndo em velocidade muito forte, mas com a frequência cardíaca bem baixa. Ou seja, sem ficarem extremamente cansados.

A sua velocidade na corrida nunca deve ser fruto de obstinação. Você deve sempre correr de forma tranquila, com a frequência baixa, pois com o tempo o seu organismo vai aumentando seu lastro cardiovascular e, lá na frente, você conseguirá correr mais forte. Veja os campeões. Quase sempre eles chegam bem nos primeiros lugares e não destroçados. Tome-os como exemplo nesse sentido e deixe que a natureza eleve o seu estado físico naturalmente. Assim, será possível correr bem aos 80 anos em vez de chegar aos 40 e poucos destruído.

*Por Nuno Cobra