O que comer durante uma corrida de obstáculos?

Atualizado em 14 de dezembro de 2017
Mais em Treinamento

Para participar de uma corrida de obstáculos você precisa de um fator básico: energia. A prova, que muitas vezes é barra pesada e tem barreiras, exige que o seu corpo esteja preparado para suportar grandes perrengues. Por isso, você precisa estabelecer estratégias nutricionais para completar o percurso com animação.

CONFIRA AS NOVIDADES E O CALENDÁRIO DA BRAVUS 2018

O primeiro ponto, durante a competição, é sempre estar hidratado para manter a reposição dos eletrólitos perdidos com o suor.

A água é condição básica para que o seu corpo funcione. Por isso, sempre que você passar por um ponto de hidratação tome ao menos um pouco. Essa regra serve para qualquer distância e nível de prova, desde aquelas feitas para iniciantes, que tem 5 km e 15 obstáculos, até as mais avançadas, quando são percorridos 21 km e é preciso ultrapassar 25 barreiras.

 

 

Em provas de corrida de obstáculos com duração superior a uma hora, o planejamento deve ser outro, já que você precisa repor os carboidratos a cada 30 minutos, pois eles ajudam a prevenir a queda da glicemia e são a primeira fonte de energia do corpo. Mais: ainda retardam a fadiga e melhoram o desempenho.

Boas estratégias para isso são alimentos fáceis de carregar e que têm alto teor de carboidrato. A bananinha desidratada e a industrializada são ótimas opções. A primeira tem cerca de 15 g de carbo, enquanto que a industrializada, por conta do açúcar, chega a 20 g. Outras saídas são as frutas secas, que também têm alto teor de carboidrato (cerca de 30 g), ou até mesmo as barrinhas de cereais, que costumam ter, em média, 20 g por barra.

(Fonte: Liane Buchman, nutricionista da academia Bodytech – São Paulo)