Lesões no ombro: como reduzir e evitar em atletas de crossfit

Atualizado em 29 de outubro de 2018
Mais em Treinamento

O crossfit tem alguns assuntos polêmicos, mas talvez o maior deles seja em relação a lesões. Muitos são os alertas feitos para os praticantes evitarem problemas. Para tirar algumas dúvidas sobre as lesões no ombro comuns no crossfit, entrevistamos o médico ortopedista Rickson Moraes, especialista em ombro e cotovelo do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia.

No esporte, Moraes já foi médico do Vasco da Gama e atendeu e operou astros do MMA como José Aldo e Vitor Belfort. Ao falar sobre crossfit, ele defende que nem todos estão aptos a praticar a modalidade. Para ele, o segredo para evitar lesões no ombro está em fortalecer a musculatura da região e sempre priorizar a técnica correta antes de cargas altas. Confira a entrevista:

WOD News: É comum encontrarmos praticantes de crossfit com lesões no ombro ou algum tipo de incômodo na região. Quais os métodos mais comuns de prevenção para esse tipo de exercício?

Dr. Rickson Moraes: Dentre as grandes articulações do corpo humano, o ombro é a que possui a maior amplitude de movimentos. Para que sua função seja mantida, ela depende de um complexo sistema composto por estabilizadores passivos (como os ligamentos, a anatomia óssea, entre outros) e estabilizadores ativos (representados pela musculatura dessa região).

Um trabalho publicado em 2014 no Orthopaedic Journal of Sports Medicine (OJSM) por pesquisadores da Universidade de Rochester (NY / EUA) avaliou 386 praticantes de crossfit para tentar determinar os padrões mais comuns de lesões. A articulação mais lesionada, segundo o trabalho, foi o ombro (decorrente dos movimentos baseados na ginástica olímpica), seguida da coluna lombar (por consequência dos movimentos para levantamento de peso).

O mesmo trabalho mostrou que o envolvimento direto do treinador com os alunos foi determinante para a prevenção e a redução do índice de lesões. Outra recomendação importante para a prevenção de lesões no ombro é executar os movimentos com a técnica correta, com incremento gradual da carga sobre os membros superiores e, consequentemente, sobre os ombros.

 

 

WOD News: Existe alguma recomendação para especial para os praticantes de crossfit em relação a lesões ortopédicas?

Dr. Rickson Moraes: Por se tratar de um sistema de treinamento que exige muito do sistema osteoarticular e da musculatura, é importante que os praticantes tenham consciência que nem todos podem (ou devem) praticar essa atividade física.

Não custa lembrar também que a prescrição de qualquer exercício deve ser individualizada de acordo com as limitações a que cada praticante esteja sujeito, sejam elas decorrentes da idade, sexo ou doenças ortopédicas apresentadas. Sendo assim, uma recomendação importante é procurar um box com instrutor certificado e capacitado que esteja apto a orientá-lo adequadamente quanto à técnica correta para a execução dos movimentos.

Mesmo tomando-se esses cuidados, o excesso de carga e de potência, característicos do crossfit, podem levar ao surgimento ou agravamento de lesões no ombro pré-existentes. Dessa maneira, uma outra recomendação importante é a de não negligenciar os sinais e sintomas que o corpo nos dá.

Caso surjam sintomas ortopédicos persistentes como dores, desconfortos ou sensação de que a articulação está instável (está solta ou parece que quer se deslocar), seja antes, durante ou após a atividade, é fundamental que se interrompam os exercícios e que se procure um médico ortopedista. O médico poderá realizar uma avaliação mais precisa das queixas, solicitar exames complementares (caso necessários) e orientar sobre o melhor tratamento a ser realizado e sobre quais os exercícios mais adequados para a condição apresentada.

Dr. Rickson Moraes (CRM: 52.71152-7)
Pós graduado em Medicina do Esporte, com atuação na área de Cirurgia do Ombro e Traumatologia Desportiva