Equipe: como treinar para a corrida de obstáculos

Atualizado em 15 de maio de 2018
Mais em Treinamento

A corrida de obstáculos, por sua natureza mais difícil, já pede que os participantes tenham um espírito menos competitivo estando dispostos a ajudar o atleta ao lado a superar as barreiras impostas. Mas, além disso, se você quer fazer com que a prova seja ainda mais animada, não há nada melhor do que treinar com os amigos para fazer uma prova em equipe, onde todos tentam completar juntos os desafios.

Para que você e seus companheiros consigam completar de forma satisfatória a competição, é preciso que os treinos também sejam feitos juntos (pelo menos uma vez na semana), fazendo com que todos tenham melhor desempenho durante o percurso. Com essa estratégia, é mais fácil se sair bem na prova, visto que a equipe fica mais unida e cada um sabe das qualidades e fraquezas do outro, sempre estando disposto a ajudar.

Tentar reproduzir alguns dos obstáculos que serão enfrentados no caminho, sempre pensando em ter um líder para direcionar o treinamento, também é uma ótima pedida. Para tanto, estude os obstáculos para classificá-los de acordo com as capacidades físicas dos integrantes do grupo, usando as aptidões de cada um para os treinos. Por exemplo, se o primeiro obstáculo exige predominante resistência, o atleta que completará essa etapa antes de todos os outros deve ser aquele que aguenta ser submetido a um esforço maior por um longo período. Ele deve ser o responsável por ajudar todos os outros a ultrapassar tal barreira.

 

 

No caso de obstáculos que requerem força, o corredor precisa ter aptidão para carregar objetos pesados, sustentar-se, empurrar etc. Já nas barreiras que pedem equilíbrio, o líder deve saber controlar a postura, enquanto que naquelas que pedem potência (habilidade muito usada nessas provas), o comandante deve ser capaz de produzir força de forma rápida e explosiva.

E nunca se esqueça de trocar experiências. O fato de visualizar todos se dedicando para a prova contribui muito para o rendimento e resultado final da equipe. Treinando juntos, o grupo se antecipa para as possíveis dificuldades que terão no dia da corrida de obstáculos, além de se preparar melhor e ficar mais confiante.

Fique ligado!
Para que tudo saia como o programado no dia da competição é preciso que o grupo fique atento a estes seis pontos.

1. Saiba lidar com o perfil psicológico de todos da equipe. Muitas pessoas se adaptam às pressões de grupos, outras nem tanto.

2. Sempre terá aquele atleta que ao ouvir alguns gritos com o intuito de motivar dará o seu máximo. Mas outros podem querer desistir por se achar incapazes.

3. Somente um treinador pode avaliar até onde o atleta pode ir. Muitas vezes os colegas incentivam, exigem demais, e o atleta que ainda não estiver preparado pode até se machucar.

4. Um dos principais cuidados é montar uma equipe que apresente as mesmas características, ou pelo menos semelhantes. É preciso ter um grupo com o mesmo tempo de treino, de dedicação e de entrosamento. Caso contrário, algumas brigas podem ocorrer e desistências também.

5. Outro cuidado importante é definir os objetivos. Em qualquer prova, inclusive na corrida de obstáculos, existem atletas interessados em chegar entre os primeiros e outros interessados em concluir a prova bem. Se você não quer saber de pressão, não quer cobranças, estresse etc, procure se encaixar em algum grupo que queira o mesmo que você para não sair frustrado ou frustrar alguém.

6. Mantenha-se motivado, mas sempre com segurança. Não exceda seus limites, respeite o seu corpo e estude sempre cada obstáculo.

(Fonte: Vanessa Delavy, coordenadora do Grupo de Corridas Cia Athletica – São Paulo)