Dor na lombar: exercício é a melhor prevenção

Atualizado em 09 de novembro de 2017
Mais em Treinamento

Você já sentiu dor na lombar? Pois dados recentes levantados pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelaram que 27 milhões de adultos no País sofrem com doença crônica na coluna – ou seja, 18,5% da população adulta brasileira – sendo o problema mais comum a dor na lombar. Isso porque passamos cada vez mais tempo sentados e inativos – segundo a  ABESO  (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), mais da metade da população brasileira está acima do peso -, o que é preponderante para a ocorrência do problema, conforme sugere pesquisa publicada recentemente no  JAMA Internal Medicine  (Jornal da Associação Médica Americana).

A pesquisa analisou 23 estudos feitos ao redor do mundo, envolvendo mais de 30 mil pessoas que sofrem de dor na lombar recorrente, e verificou que os exercícios físicos se mostraram mais eficientes na hora de prevenir novas crises a longo prazo, diminuindo em até 45% a reincidência do problema. Para os especialistas, ficar parado é o principal gatilho para criar um círculo vicioso, pois mesmo com os métodos tradicionais de tratamento (remédios e cintos ortopédicos) as crises tendem a reaparecer em menos de um ano. E quanto mais dor, mais tempo parado para recuperar-se; e quanto mais tempo parado, mais dor, sendo que a inatividade pode aumentar as chances de uma dor aguda se tornar crônica.

Exercitar-se pode até fazer você se sentir um pouco dolorido no começo, mas a prática de atividades físicas (devidamente acompanhada por um profissional) trará grandes benefícios à sua saúde. Por isso mexa-se! Procure um especialista e comece devagar, aumentando o estímulo gradualmente, até ganhar qualidade de vida e perder de vista o incômodo das dores.

 

 

Corrida e dor na lombar
Quem corre deve investir em exercícios de fortalecimento para evitar dor na lombar. Fortalecer a musculatura que dá suporte à coluna, o “core” (músculos abdominais e paravertebrais) é fundamental para quem quer continuar correndo sem dores ou lesões na região. “Uma boa postura é fundamental para uma corrida com segurança. Além de prevenir e minimizar lesões, o equilíbrio correto dos músculos e do esqueleto consome menos energia do organismo”, explica o médico João Paulo Bergamaschi, especialista em cirurgia da coluna da Clínica Kennedy e membro do Comitê Médico do UFC Brasil.

Exercícios como musculação, pilates, hidroginástica, natação e ginástica holística podem ajudar nesta tarefa. “Além desses cuidados, devemos alongar também os músculos isquiotibiais e o corredor deve usar um tênis que amorteça o impacto e diminua a carga transmitida para a coluna com as passadas no solo”, completa o médico Alexandre Fogaça Cristante, membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).

Fontes: JAMA, Dr. Sérgio Mauricio, ortopedista e Membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; Dr Márcio Schiefer, médico ortopedista do Instituto Nacional de Traumato-ortopedia e Membro da American Academy of Orthopaedic Surgeons, Arthritis Research UK e Dr. Alexandre Fogaça Cristante, membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).