Como escolher uma corrida de obstáculos?

Atualizado em 28 de junho de 2017
Mais em Treinamento

Imagine essa situação: você vai encarar uma corrida de obstáculos, passa a se dedicar aos treinos, mas na hora de escolher a prova da qual vai participar acaba elegendo um percurso com barreiras que ainda não eram destinadas para você. Esse é um dos principais erros dos corredores que passam a se dedicar a esse tipo de prova.

Saber escolher os obstáculos que serão superados é fundamental para que você tenha sucesso na corrida. E para que isso seja feito, basta conferir no site do evento que você vai participar quais serão as barreiras da prova. Analisando isso, você saberá se tem, ou não, condicionamento físico para cruzar a linha de chegada ou o que deve aprimorar para conquistar seu objetivo.

O que você encontrará no meio do caminho
Para que os obstáculos sejam definidos, informações como demografia do terreno são muito importantes para a definição das barreiras que serão propostas aos participantes. O objetivo de qualquer prova deste tipo é fazer um evento divertido e que estimule os participantes a superarem seus próprios limites.

Por isso, em provas voltadas para iniciantes você encontra obstáculos com lama e teia de aranha, por exemplo, que são um pouco mais fáceis de serem superados. Já competições para intermediários exigem um pouco mais de esforço físico, com barreiras como morro com cordas e parede de madeira, quando o atleta tem que pular obstáculos. Os avançados, por sua vez, geralmente, encontram percursos mais longos, onde há subidas e o condicionamento físico é mais exigido. Aliás, além do condicionamento aeróbio, é fundamental que você tenha um bom fortalecimento muscular, já que os obstáculos exigem bastante da musculatura do seu corpo.

Uma dica: os desafios mais difíceis geralmente estão no começo do trajeto, quando você ainda está descansado e com disposição para continuar. Por isso, não desista assim que encontrar uma barreira que parece muito difícil, por medo do que ainda encontrará pela frente.

(Fonte: Rafael Sá, organizador da Xtreme Race e dublê profissional)