5 principais barreiras das corridas de obstáculos

Atualizado em 26 de junho de 2017
Mais em Treinamento

Pensar em participar de uma corrida de obstáculos é o sonho de muitos corredores que gostam de novas experiências. Esse tipo de prova está virando febre no Brasil e atrai cada vez mais participantes. No entanto, muitos têm receio de encontrar algo inesperado. Por mais que isso faça parte da adrenalina característica desse tipo de prova, às vezes dá um frio na barriga por não ser capaz de ultrapassar a barreira e ter de ficar pelo meio do caminho.

Por isso, elencamos as principais barreiras das provas de obstáculos para que você saiba o que fazer ao encontrar um desses empecilhos na corrida. Entretanto, saiba que outras novidades podem surgir para deixar a prova ainda mais animada.

1. Rastejar embaixo do arame farpado

Para que você consiga passar pelo arame farpado é preciso que você rasteje pelo chão. O melhor é que você vá o mais próximo possível do solo para não correr o risco de encostar-se ao arame. Faça movimentos sincronizados entre as pernas e os braços sempre se deslocando para frente, nunca para cima.

2. Correr entre pneus

Nesta etapa você encontra uma série de rodas espalhadas pelo chão, uma ao lado da outra. A ideia é que você corra entre os pneus, colocando os pés dentro de cada um deles. Vá com cuidado para não enroscar a perna nos círculos, o que fará com que você caia. Coloque um pé de cada vez e sempre olhe para o próximo obstáculo à frente, mantendo a concentração.

3. Cruzar barreiras de água ou lama

Uma das intenções (e diversões) da corrida de obstáculos é que você saia sujo. Muito sujo. Por isso, pode esperar por alguma barreira que contará com água ou lama. Esse obstáculo não tem grandes dificuldades. Você precisará, apenas, entrar em um tanque cheio de um dos dois componentes para chegar ao outro lado, continuando o percurso.

4. Passar por uma rede de escalada

Este é um grande desafio para quem tem medo de altura. Isso porque você terá de escalar um triangulo feito com uma rede. Sabe aquele brinquedo encontrado em parques infantis, no qual as crianças precisam colocar as mãos e os pés, como na escalada? Essa barreira segue a mesma lógica, mas é muito mais alta. Você deve segurar a rede com as duas mãos e apoiar os pés na parte de baixo. Suba, devagar, até atingir o cume do triângulo e, após passar para o outro lado, faça o movimento contrário, de descida.

5. Passar por um tanque de gelo

Esse é outro obstáculo que não tem tanta dificuldade, mas que certamente fará com que você entre numa fria, literalmente. Nessa etapa você precisa passar por um tanque cheio de gelo. A maior barreira é conseguir se movimentar lá dentro. Além de o gelo atrapalhar o caminho, o frio intenso também interfere na sua velocidade. Isso só não acontece em dias quentes, quando o obstáculo acaba sendo muito bem-vindo para aliviar o calor.

(Fontes: Fabiano Braun de Moraes, diretor técnico da Assessoria Esportiva Floripa Runners e presidente da Associação de Treinadores de Corrida de Santa Catarina (ATC/SC), e Maurício Fragata, organizador da Xtreme Race no Brasil)