3º do mundo no Open, Guilherme Malheiros sonha com pódio no Games

Atualizado em 07 de abril de 2017
Mais em Notícias

Uma evolução monstruosa num período de um ano tornou um jovem promissor em um dos melhores atletas do mundo na sua idade. Guilherme Malheiros, de 17 anos, participou do seu segundo Open e, com apenas um ano e meio de crossfit, colocou-se entre os três melhores adolescentes do mundo.

Guilherme já sabe o que o futuro lhe reserva. O jovem que sempre amou esportes e cursa faculdade de educação física sonha alto e, mais do que garantir presença em seu primeiro CrossFit Games, quer estar no pódio na competição que acontece em agosto. Confira a entrevista exclusiva com o atleta da CrossFit Cavaleiros.

 

 

WOD News: No Open 2017, vimos um salto muito grande em relação ao ano passado. O que achou do seu desempenho?
Guilherme Malheiros: Achei muito bom, pois consegui ver que todo meu treinamento está valendo a pena e ainda tenho muito o que melhorar.

WOD News: Primeiro lugar na América Latina e 3º no mundo. Você acredita que ainda pode melhorar rumo ao Games 2017? Qual sua expectativa para o resto do ano?
Guilherme Malheiros: Com certeza, tenho uma equipe sensacional que me auxilia em tudo para que eu possa estar melhor a cada dia até o Games. Minha meta é ir para o Games e representar o Brasil naquele pódio.

WOD News: O grande diferencial do Open 2017 talvez tenha sido a presença dos dumbells. Quem não é atleta de alto nível estranhou, mas como foram pra você os dois primeiros WODs? 
Guilherme Malheiros: Horríveis! Brincadeiras à parte, achei muito chato, sinceramente (risos). O primeiro até foi maneiro e tal, mas o segundo… Cheguei a fazê-lo três vezes, nível máximo de sofrimento. Mas no final deu tudo certo.

WOD News: O Open teve alguns movimentos ginásticos como Bar MU e Toes to Bar, LPO e também alguns WODs de cardio com remo e HSPU. O que você achou?
Achei bem maneiro, misterioso e diversificado, bem no estilo crossfit.

WOD News: Dos cinco WODs do Open, você teve um primeiro e um segundo lugar no ranking mundial, e dois deles acima de 20º. Qual deles você mais gostou e qual você menos gostou?
Guilherme Malheiros: O que mais gostei foi o 17.3, pois combinou dois movimentos que eu me amarro e me dou relativamente bem, que é o Snatch e o Chest To Bar (peito na barra). O que menos gostei foi o 17.2. 

WOD News: Você é atleta de crossfit há quanto tempo? Como conheceu a modalidade?
Guilherme Malheiros: Sou atleta, atleta mesmo há 1 ano e meio. Conheci o crossfit pelo meu pai, que fez o curso de “Iniciação ao Crossfit” em 2010 e me apresentou. Depois comecei a praticar quando meu atual box inaugurou, apenas para melhorar minha performance no basquete, mas quando os horários passaram a conflitar, optei por largar o basquete.

WOD News: Aos 17 anos, você já é um atleta muito reconhecido no cenário do crossfit. É fácil lidar com essa “fama” sendo tão novo?
Guilherme Malheiros: (risos) Sim, é bem legal saber que sirvo de exemplo e inspiração para outras pessoas. Gosto bastante de conversar e dar dicas.

WOD News: Atualmente o que toma o seu tempo além dos treinos?
Guilherme Malheiros: Por enquanto apenas a faculdade.

WOD News: Em algum momento você temeu pelo desenvolvimento precoce do seu corpo ou sofreu algum preconceito pelos músculos desenvolvidos e mãos abertas e calejadas?
Guilherme Malheiros: Não temi, pois sabia que era algo natural e que não me prejudicaria o meu desenvolvimento. Na escola sempre tem os amigos que ficam fazendo piadas e brincadeiras, mas eu levo tudo na esportiva.

WOD News: Sua família sempre aceitou a sua escolha de ser um atleta de crossfit? Hoje em dia te acompanham nos campeonatos? 
Guilherme Malheiros: Minha família sempre me apoiou em tudo, ainda mais no crossfit. Eles me dão todo suporte e confiança que eu preciso e me acompanham quando podem. E quando não podem ficam vidrados nas redes sociais pra saber o que está acontecendo.