Um bom box de crossfit começa com um bom projeto

Atualizado em 06 de fevereiro de 2017
Mais em Notícias

Um bom projeto para montar um box de crossfit pode ser o diferencial que todo proprietário procura. Hoje em dia, o conceito de um box de crossfit mudou. Antigamente, o box não dava importância para banheiros, decoração ou para as áreas de espaço comum. Em vez disso, tinha aquele aspecto e pensamento militar, assim como o início do crossfit na Califórnia.

No entanto, o público atual que procura o esporte tem exigências e necessidades de quem vem de uma academia de luxo. Banheiros precisam ter amplo espaço e funcionar como vestiário. Um espaço tranquilo onde um filho ou visitante podem aguardar durante a aula também é importante. Os alunos também gostam de um box limpo e bonito, afinal, muitos chamam o local de sua segunda casa.

Entrevistamos o arquiteto Lucas Otsuka, formado em arquitetura em 2010 pela Universidade Mackenzie, na capital paulista. Otsuka é a favor do uso de conceitos de design e decoração exclusivos para cada box. Seus projetos custam, em média, R$ 10 mil, do início da obra até a inauguração do box.

Otsuka não faz crossfit, mas tem amigos que treinam e que decidiram abrir um box após conhecerem o esporte. Nasceu ali a CrossFit Saurus, na zona norte de São Paulo. Os proprietários jogam futebol toda semana com Lucas e, entre um jogo e outro, fecharam um projeto com o arquiteto.

 

 

O box ficou pronto em 2015 e logo foi escolhido para sediar as seletivas do Torneio CrossFit Brasil (TCB) no ano passado. Outro box recém-inaugurado e que também levou a assinatura de Otsuka é a 3050 CrossFit , no zona oeste de São Paulo. 

“Geralmente sou procurado depois que o imóvel é locado e que a data de inauguração é definida, o que é um grande desafio, pois temos que correr muito com os projetos para atender ao cliente”, conta o arquiteto.

“O projeto em 3D acaba ficando para depois da aprovação devido a este curto período, então geralmente aprovamos tudo em plantas e elevações 2D, que são desenhos detalhados prontos para irem para a obra. E o 3D fica muito fiel ao projeto final”, acrescenta Otsuka.

Acompanhe o trabalho do arquiteto nas fotografias abaixo: