Tratar lesão com estímulo elétrico e em casa (sim, é possível!)

Atualizado em 19 de dezembro de 2017
Mais em Treinamento

O corredor está sujeito a lesões, como torções, tendinites, distensões, entre outras. Além do afastamento temporário do esporte, o tratamento desses problemas requer, em alguns casos, a visita a um fisioterapeuta. Uma das técnicas usadas por esses profissionais é a neuroestimulação elétrica transcutânea (Tens, na sigla em inglês). O aparelho utilizado libera leves choques, que estimulam a corrente elétrica dos nervos, proporcionando a liberação de opiáceos endógenos (substâncias produzidas pelo próprio organismo com poder analgésico).

leia-mais-cinza
icon texto_menor  LESÕES PODEM SER TRATADAS COM ONDAS DE CHOQUE 
icon texto_menor  DICA DO ESPECIALISTA: 4 PASSOS PARA PREVENIR LESÕES 
icon texto_menor  DORES MUSCULARES APÓS OS TREINOS 
icon texto_menor  LESIONOU? A CULPA PODE SER SUA 

Um produto portátil – que já está à venda no mercado brasileiro – pode ajudar no tratamento dessas lesões. O Tanyx emite a eletroestimulação quando colocado no local da lesionado. Ele ativa as fibras nervosas que enviam para o cérebro a mensagem de que não há dor no local, bloqueando a sensação dolorida.

De acordo com os fabricantes, o Tanyx não gera efeitos colaterais e pode servir como complemento para tratamentos fisioterápicos. Ele conta com dois condutores em gel que podem sem aplicados diretamente no local da dor. Há três padrões de intensidade do choque: baixa, média e alta. O preço sugerido é de R$ 60 e pode ser encontrado em farmácias.

Veja algumas lesões comuns em corredores que podem ser tratadas com o método:

Nos pés: fascite plantar (com ou sem esporão de calcâneo), metatarsalgias, sesaimoidites (inflamações nas cabeças dos metatarsos e ossos sesamóides), dor miofascial plantar (espasmos nos músculos plantares) e inflamações do tendão calcâneo (também chamando de tendão de Aquiles), tendinite ou entesite (inflamação na inserção do tendão no periósteo, a membrana que reveste o osso).

Nos tornozelos e pernas: dores e inflamações crônicas após o corredor ter sofrido uma lesão no ligamento do tornozelo, tendinite dos músculos tibial posterior e fibulares, periostite da tíbia (a canelite), fraturas por estresse (reduz a dor e acelera a consolidação óssea) e contusões musculares na panturrilha.

Nos joelhos: tendinites ou entesites do joelho (patelar e quadricipital), anserina (conhecida como pata de ganso), síndrome da fricção da banda iliotibial (lateral do joelho) e inflamação do coxim gorduroso de Hoffa (síndrome de Hoffa).

No quadril e coxas: lesões musculares dos isquiotibiais, tendinites, entesites e bursites no quadril, nos adutores, no púbis e no músculo iliopsoas (que ligam as pernas ao quadril).

Na região lombar: dores musculares lombares e glúteas e inflamações da articulação sacroilíaca.

Fonte: Dr. Gilson Tanaka Shinzato, médico do Hospital do Coração (HCor)