Conheça os prós e contras de treinar sozinho

Atualizado em 02 de outubro de 2018
Mais em Treinamento

Você é daqueles atletas que preferem treinar sozinho? Aposta na independência para alcançar seus objetivos? Muitos corredores admitem que se sentem melhores e até mais dispostos quando trabalham a evolução por meio da individualidade.

No geral, é uma decisão bem complexa a ser tomada e dependerá de dois fatores, segundo especialistas no assunto: personalidade de cada corredor e humor (extrovertido, introvertido, tranquilo, estressado devido à rotina de trabalho), e tipo de treino a ser realizado (longos, intensos, leves, técnicos).

Em outras palavras, assim como qualquer tema, existem seus prós e contras. Diante disso, veja alguns positivos e também negativos para a escolha.

Pontos positivos

• A maior concentração durante os treinos, possibilitando uma melhor reprodução da variação de estímulos (velocidade ou ritmo), correções técnicas e ajustes posturais.

• Não depender de ninguém para começar os treinos e haver possibilidade de “boicote”.

Pontos negativos

• A falta de incentivo para os dias de frio e de preguiça

• Não ter alguém mais forte para os treinos com estímulos mais intensos e para os treinos longos.

• Não ter alguém para compartilhar as experiências de corridas e em alguns casos a segurança, em caso de incidentes durante os treinos.

• No caso da preparação para provas de 21 km ou maratonas, uma companhia para os treinos longos pode ser fundamental para a motivação e manutenção de ritmo.

• Para as provas curtas e rápidas, a presença de um parceiro mais forte pode ser decisivo para a qualidade dos treinos de ritmo intenso.

Em geral, profissionais da área esportiva acreditam que alguns fatores serão decisivos para que você, caso seja esse corredor solitário, alcance seu objetivo da melhor maneira possível.

Seja bem disciplinado, defina metas a curto, médio e longo prazos, diversifique os treinos (locais e intensidades) e, também, compartilhe experiências com seus colegas por meio de redes sociais.

Por outro lado, caso esteja desanimado com essa escolha, o indicado é não pensar duas vezes em aceitar ou convidar alguém para participar de um treino.

(Fonte: Rodrigo Lobo, diretor técnico da Lobo Assessoria Esportiva)