Planilha: treine na pista

Atualizado em 28 de abril de 2016
Mais em Treinamento

As provas de velocidade, como os 100 metros rasos, são algumas das competições ue mais atraem público e mídia no atletismo. Em poucos segundos, todos os flashes esportivos estão voltados para os homens mais rápidos do planeta. Mas não pense que correr naquele piso liso e colorido é um privilégio de superatletas. Os corredores de rua também podem aproveitar as pistas para desenvolver melhor sua técnica de corrida e a velocidade. “Nas pistas, o treinador pode observar a postura do corredor durante todo o treino, além de que o ritmo pode ser mais bem acompanhado por ambas as partes e em um espaço curto de tempo, já que cada volta tem 400 metros”, explica Nelson Guaranha, diretor técnico da Guaranha Assessoria Esportiva. Outro ponto importante, também para os que treinam sem acompanhamento, é que o piso é mais confortável, oferecendo um impacto muito menor do que o asfalto.

Se você se interessou por realizar um treinamento específico nesse piso tão tradicional no mundo do atletismo, saiba que muitos municípios possuem pistas que estão abertas ao público, cada uma delas com regras específicas de utilização. No site O2 Por Minuto você encontra as opções oferecidas por algumas das principais cidades do País. Uma alternativa é entrar em contato com clubes particulares, já que alguns oferecem esse tipo de serviço aos seus sócios.

Preparado para dar um upgrade no seu treino? Então inspire-se nos grandes nomes do atletismo, ganhe velocidade na pista e faça de 2014 o seu ano mais rápido na corrida!

Treino sob controle

1/ Nas pistas, opte, principalmente, por treinos de velocidade, como os intervalados e fartlek (treino com variação de velocidade durante a corrida, sem pausa total), pois nelas é mais fácil controlar a distância a ser percorrida entre cada aceleração. Com isso, é possível calcular no final do treino, com precisão, se o tempo de cada um dos exercícios está dentro do proposto pelo treinador.

2/ Se você treina com um grupo grande de pessoas, quando partirem para o treino neste terreno, converse com o seu treinador para que ele supervisione, mesmo que por alguns minutos, o seu “estilo” de corrida. Como o espaço é menor, ele poderá visualizar com maior precisão a sua movimentação durante as passadas. “Essa visualização do atleta em tempo integral permite ao professor corrigir a postura e outros detalhes durante toda a corrida”, afirma Leandro Pessoa, diretor técnico da LPO Assessoria Esportiva.

3/ Optar pelas pistas pode ser uma boa escolha também para quem está voltando a treinar após uma lesão. Como o seu piso é sempre regular, o risco de torções e quedas diminui. Além disso, o impacto oferecido pelo terreno, normalmente composto por materiais sintéticos emborrachados, é muito menor que o do asfalto. Mas corredores que se enquadram nesse grupo evem fugir dos treinos mais intensos. Se você acabou de deixar uma contusão para trás, realize apenas corridas leves.

4/ Por ter uma distância fixa — cada volta totaliza 400 metros —, a pista permite que você tenha maior conhecimento sobre o seu ritmo e, consequentemente, descubra o seu pace ideal, pois está sempre com as variáveis sob controle. “Observo que os corredores que treinam em pista têm uma noção de controle de ritmo melhor do que aqueles que correm apenas no asfalto”, diz Pessoa.

5/ Manter-se focado por todo o tempo do treinamento é outra vantagem da pista, já que a corrida é baseada em parciais de 400 metros. Munido apenas de um cronômetro, você pode acompanhar o seu desempenho a cada volta — e forçar-se a atingir o próximo objetivo de tempo.

6/ Como os treinos em pista tendem a ser mais intensos, fique atento aos horários, evitando os momentos do dia em que o sol está mais quente. “Apesar dos diversos benefícios de correr em pista, não é como em um parque, que possui um clima mais fresco. O ideal é correr no início da manhã e no início da noite, quando o sol não é tão severo”, indica Nelson Guaranha. Manter uma garrafinha de água em pontos estratégicos também é uma boa opção.

7/ Se a sua cidade não possui uma pista para treino, procure uma praça de metragem parecida. Assim é possível replicar quase todos os benefícios que o treino de pista produz para o seu condicionamento.

Clique na planilha abaixo para ampliar:

Fontes: Nelson Guaranha, diretor técnico da Guaranha Assessoria Esportiva. Leandro Pessoa, diretor técnico da LPO Assessoria Esportiva.

(Publicado na Revista O2, edição 130, fevereiro de 2014)