Osteoporose: corrida pode ajudar a evitar

Atualizado em 21 de dezembro de 2017
Mais em Treinamento

Provavelmente, você já ouviu falar na osteoporose, doença metabólica que leva à perda de massa óssea, diminuindo a resistência dos ossos e aumentando o risco de fraturas. A boa notícia para quem corre, no entanto, é que a atividade física pode ser uma aliada na prevenção da doença.

Muitos daqueles que se dedicam às passadas têm receiam desenvolver a doença por conta do impacto da corrida, já que a osteoporose se dá quando os ossos estão enfraquecidos e qualquer trauma pode aumentar o risco de fraturas. Além disso, o medo também surge porque ela é uma doença silenciosa, que não causa sintomas até ocorrer a quebra do osso. Mas, na realidade, a lógica é inversa. A corrida, como outras atividades consideradas de impacto como caminhadas e esportes coletivos, é importante para prevenir e tratar a doença.

A prevenção se inicia quando criança, através da correta alimentação e da prática regular de atividade física, que deve ocorrer ao longo de toda vida. As primeiras três décadas de vida é o período onde o corpo armazena grande quantidade de cálcio nos ossos, e a manutenção da atividade mantém o estoque ósseo pelo resto da vida.

Correr estimula a retirada e o depósito do cálcio sanguíneo nos ossos, sendo importante na prevenção do problema. Além disso, o sedentarismo também é um fator de risco para o surgimento da doença. Por isso, adicionar as passadas ao seu dia a dia e adquirir um estilo de vida mais saudável é uma ótima pedida, já que a atividade ainda auxilia na renovação celular.

leiamais-cinza-novo
icon texto_menor  CORRER FAZ VOCÊ FICAR MAIS INTELIGENTE?
icon texto_menor  CUIDADO COM O AUMENTO DE RITMO
icon texto_menor  VINHO + EXERCÍCIOS = CORAÇÃO SAUDÁVEL

Além do esporte, uma boa alimentação rica em cálcio (derivados de leite e vegetais) e uma adequada exposição solar para a síntese de vitamina D (tomando, claro, os cuidados para evitar superexposição solar e prejudicar a pele), também são medidas importantes para combater a doença.

Mas é importante salientar que as pessoas já detectadas com o problema precisam de liberação médica para praticar o exercício e deverão focar os treinos de acordo com as limitações do corpo. Principalmente os idosos, que devem ficar alertas devido ao alto risco de fraturas.

Homem, fique ligado!
Apesar de ser três vezes mais frequente em mulheres, a osteoporose vem aumentando nos homens por conta do desconhecimento. Segundo pesquisa da Fundação Internacional de Osteoporose feita em 12 países, 73% dos homens sequer sabem que podem ser afetados pelo problema. No Brasil, o desconhecimento é ainda maior, alcançando 90%.

Por isso, não custa ficar atento às principais causas que podem levar à osteoporose:
– Alimentação inadequada;
– Sedentarismo;
– Uso abusivo de álcool;
– Tabagismo;
– Uso crônico de medicamentos a base de corticoides;
– Algumas doenças reumatológicas;
– Baixa exposição à luz solar.

(Fonte: Moisés Cohen, professor titular e chefe do departamento de ortopedia e traumatologia da Unifesp, presidente da Sociedade Mundial de Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Trauma Desportivo (ISAKOS) e diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte).