Joelho de corredor: Corrida machuca mais?

Atualizado em 22 de dezembro de 2017
Mais em Treinamento

Correr machuca mais os joelhos ou não? Muitos se dividem quando o assunto é joelho de corredor, mas um  estudo norte-americano   que acompanhou corredores e não-corredores durante mais de 11 anos parece que acabou de vez com as dúvidas (ou aumentou?). A pesquisa descobriu que enquanto 20% dos corredores desenvolveram artrite nos joelhos durante esse tempo, 32% dos não-corredores também sofreram com o mesmo problema.

Outra  pesquisa,  feita entre corredores e caminhantes, descobriu que o primeiro grupo tinha cerca de metade da taxa de artrite do segundo. Neste estudo, os corredores com maior quilometragem regular tiveram a menor taxa de artrite. Mesmo em atletas de elite ou amadores com alta intensidade de treino não houve relação entre corrida e artrite no joelho. E tem mais. Não há evidências de que a corrida acelere a perda perda da cartilagem na região.

Mas, ainda sim, corredores estão suscetíveis a problemas. Uma das lesões mais comuns é o tal “joelho do corredor”, conhecido também como condromalácia patelar ou síndrome de dor patela-femoral – uma inflamação da cartilagem sob a rótula. Há, entretanto, um consenso crescente entre os médicos especialistas que muitas pessoas desenvolvem a lesão por possuírem alguns problemas biomecânicos, como quadris e glúteos fracos – que causam instabilidade na parte inferior das pernas (e até da coluna); quadríceps fracos, que impedem que a rótula rotacione corretamente; e os músculos isquiotibiais encurtados, que transferem parte do impacto da corrida para os joelhos.

Dicas para fugir das dores:

  1. Correr mais rápido pode diminuir o esforço global em cima dos joelhos em até 30%, em comparação com quem corre lento, de acordo com um novo estudo publicado no  Journal of Orthopedic Sports  (2015).  A pesquisa concluiu que a maneira ideal de correr é aquela que produz menor carga cumulativa nas articulações, e a velocidade parece ser uma boa ideia para diminuir a carga acumulada na articulação do joelho. Ou seja, inserir alguns treinos de velocidade não só irá ajudá-lo a ser um corredor melhor, como também vai manter as articulações dos joelhos mais protegidas.
  2. Se você tem histórico de dor nos joelhos, mesmo que seja proveniente de acidentes ou outros esportes, preste atenção nas suas passadas. Uma pesquisa da  Universidade de Harvard  (2010) apontou que a passada com o antepé gera menor sobrecarga sobre os membros inferiores em relação à passada iniciada com calcanhar. Mas fique atento: a utilização da técnica de aterrissagem com o antepé deve ser iniciada de maneira gradativa, primeiramente em corridas de curta distância e sempre com a orientação de um profissional.
  3. Como observado acima, fraqueza e músculos encurtados pode significar problemas nos joelhos. Então, fortaleça! Um bom programa de fortalecimento muscular pode prevenir o “joelho de corredor”.
  4. Peso extra também aumenta a pressão sob os joelhos. O  American College of Sports Medicine  divulgou que cada peso adicional de massa corporal aumenta em quase quatro vezes o peso exercido nos joelhos. Será que não é melhor uma dieta?

 

(Fontes: Journal of Orthopaedic & Sports Physical Therapy,  American College of Sports Medicine,  Harvard ,  Medicine & Science in Sports Exercise , PubMed)