Dicas para ser mais veloz na maratona

Atualizado em 29 de abril de 2016
Mais em Performance

Chegar a uma maratona exige dedicação. Você deve percorrer vários quilômetros e ter experiência em outras distâncias para conseguir completar os 42 km. O grande diferencial (além da distância, é claro) entre uma meia e uma maratona está no psicológico. Nem todos reagem da mesma forma quando são testados a ir além de seus limites.

E depois de tomar gosto pela prova vem o segundo desafio: melhorar o tempo na maratona. Mais uma vez você vai precisar de empenho para alcançar este objetivo. É preciso destinar tempo para os treinos, ser disciplinado, alimentar-se adequadamente e tudo o mais que uma maratona exige, além de criar estratégias para voar baixo e não se machucar.

Melhorar na corrida de resistência leva tempo. Por isso, não pense que é preciso exagerar nos treinos para melhorar a velocidade. Se você treinar muito duro, seu corpo vai precisar de mais tempo para se recuperar. Como resultado, dores e outros sintomas como diminuição da performance, fadiga e baixa motivação passarão a fazer parte da sua vida.

LEIA MAIS
icon texto_menor  42 KM: COMO TREINAR 3 DIAS POR SEMANA?
icon texto_menor  COMO CALCULAR O PACE PARA UMA MARATONA?
icon texto_menor  CHECK-LIST PRÉ-MARATONA

ferramenta_ritmo
icone_ritmo  MELHORE O PACE PARA GANHAR TEMPO NA CORRIDA

Como ganhar velocidade sem correr riscos?
Para que você corra mais rápido reduzindo os riscos de lesões e melhorando o seu desempenho é preciso que tome certos cuidados. Os longões, por exemplo, apesar de serem fundamentais para que você tenha noção dos problemas que pode passar durante uma maratona (como bolhas e mal-estar), devem ser empregado nos treinos com cautela.

Pode ser tentador incluir um monte de corridas longas em seu treino, mas essa estratégia faz com que você sobrecarregue o corpo. O melhor é treinar com menor frequência para permitir que o organismo se recupere para seguir a programação dos 42 km. De nada adianta você se preocupar apenas com os treinamentos de volume pensando que quanto mais longe for, mais seguro estará para a prova. É preciso fazer treinos curtos e longos, com intensidades leves e fortes, pois cada um tem a sua função na planilha de treinamento. E misture intensidades diferentes de esforço para que o seu corpo se adapte às exigências dessa distância.

Com relação aos treinos mais rápidos, você deve tomar o mesmo cuidado. Como você quer melhorar o seu tempo nos 42 km parece razoável que tenha que fazer treinos mais velozes. Mas não é essa a lógica mais aconselhável a seguir. Tudo precisa estar em equilíbrio, para que você se saia bem na corrida. Por isso, intercale os treinos mais puxados com aqueles que são mais fáceis. Será essa alternância que fará com que o seu corpo se acostume aos novos estímulos e ganhe rendimento.

(Fonte: Kim Cordeiro, diretor técnico da BK Sports – São Paulo)