Dica do especialista: artes marciais como complemento da corrida

Atualizado em 29 de abril de 2016
Mais em Treinamento

Aulas de artes marciais estão espalhadas por várias academias em todo o país. Essas atividades, apesar do contato físico, também podem ajudar no desenvolvimento do corredor. “Três modalidades se sobressaem e podem ajudar o atleta a correr melhor: o jiu-jitsu, o boxe e o muay thai”, afirma Ery Silva, coordenador da Pretorian Gym, em São Paulo. Explosão muscular, agilidade, força física, resistência e condicionamento são alguns dos benefícios proporcionados por esses esportes.

leia-mais-cinza
icon texto_menorFORÇA MUSCULAR PARA A CORRIDA 
icon texto_menor POUCO TEMPO PARA CORRER 
icon texto_menor ESTEIRA OU RUA? 
icon texto_menor CUIDADOS PARA OS CORREDORES INICIANTES 
icon texto_menor VOLTA DAS FÉRIAS 
icon texto_menor VEJA TODAS AS DICAS DOS ESPECIALISTAS DE 2013 

Jiu-jitsu
Criado no Japão e aperfeiçoado no Brasil, a luta é uma das mais procuradas nas academias e exige muito da força física. Para quem corre, “o jiu-jitsu pode ajudar por meio da isometria, que faz com que o atleta ganhe força e explosão muscular”, explica Silva. Além disso, envolve flexibilidade, resistência aeróbica e muita concentração, que também podem ser aplicadas à corrida.

Boxe
Procurado, principalmente, por pessoas que querem perder peso, a atividade exige disposição. “Tanto os membros superiores, quanto os inferiores são exercitados”, conta o especialista. “É preciso muita movimentação durante a aula, por isso, ajuda a aprimorar o condicionamento físico”. Agilidade e força nas pernas também são adquiridas com a prática.

Muay thai
Essa arte marcial tailandesa trabalha todo o corpo. “Ela é bem completa, o que acaba gerando um bom preparo físico com quem a pratica”, diz o treinador. “A velocidade nas pernas é o principal fundamento que essa luta traz de benefício para os corredores”. Isso ocorre, pois o chute é a principal característica no esporte.

Lesões nas lutas
Segundo Silva, “em todas as artes marciais existe o risco de lesões”. Porém, “quando feita com segurança, cautela e acompanhamento de profissionais capacitados, o risco diminui”, garante. É importante conversar com o professor que dará a aula e explicar os seus objetivos com o esporte. Assim, treinos específicos poderão ser elaborados. As aulas de boxe, por exemplo, são, geralmente, sem contato físico.

Corrida e luta no mesmo dia
Não tem problema praticar as duas atividades no mesmo dia, de acordo com o especialista. “Dê uma pausa de, pelo menos, quatro horas, entre uma atividade e outras”, encerra o treinador.