Devo (ou não) correr resfriado?

Atualizado em 21 de dezembro de 2017
Mais em Treinamento

Correr com tosse, febre e nariz escorrendo pode ser um suplício. Você fica cansado mais rapidamente e o seu rendimento cai. Mais: a dúvida sobre a eficácia de correr resfriado sempre paira no ar. Afinal, soltar as pernas nessas condições é bom? Segundo pesquisas da Ball State University, de Indiana (EUA), os sintomas comuns ao resfriado podem ajudar o sistema imunológico, estimulando-o a agir melhor, e, assim, ativando as defesas do corpo contra doenças. Isso porque, como os exercícios físicos estimulam o sistema imunológico, isso leva a crer que atividades físicas moderadas podem prevenir doenças como resfriados.

Para chegar a essa conclusa, Thomas Weidner, diretor do Laboratório em Pesquisa e Educação sobre Treinamentos Atléticos dessa instituição, avaliou um grupo de estudos com 50 voluntários que foram inoculados com o rinovírus (principal tipo de vírus associado a resfriados e constipações respiratórias) e, depois, divididos em dois grupos onde 25 desses indivíduos correram, subiram escadas e pedalaram por 40 minutos ininterruptos a uma taxa de 70% de sua FC Máx. (frequência cardíaca máxima) todos os dias. E os 25 restantes foram instruídos a permanecer sedentários, restringindo seus exercícios a caminhadas até o trabalho ou local de estudos. O grupo que teve que correr resfriado se sentiu melhor após os exercícios, mas nenhum dos dois grupos teve os sintomas piorados após o período da pesquisa. É claro que ninguém se sente bem quando está resfriado, principalmente quando tem sintomas na cabeça. Porém, a pesquisa demostrou que, mesmo assim, as pessoas podem se exercitar.

leiamais-cinza-novo
icon texto_menor  CORRIDA DE RUA MELHORA A PRODUTIVIDADE
icon texto_menor  É NORMAL SENTIR DOS NA CORRIDA DE RUA?
icon texto_menor  REPOUSO DEVE FAZER PARTE DA CORRIDA DE RUA

Mas ao correr resfriado é preciso tomar certos cuidados, pois a decisão de se exercitar deve se basear no local dos sintomas da doença. Exercícios de leves a moderados são liberados e até indicados quando os sintomas estão localizados do pescoço para cima. Do contrário, se os sintomas também incluem os pulmões e o resto do corpo, o exercício não é uma boa opção. Fique atento, sempre, para seu estado geral. Caso sinta-se sem energia, não treine.

Correndo na chuva
Muitos pensam que correr na chuva é sinônimo de resfriado. Na realidade, isso não é uma regra. O que acontece é que nesse caso há um grande risco de se contrair um resfriado por conta da baixa temperatura do ar que entra nos pulmões nos dias chuvosos, o que reduz as defesas do aparelho respiratório. Mas se você correr debaixo de chuva e não tiver contato nenhum com outra pessoa infectada, certamente não ficará resfriado.

(Fontes: José Kawazoe Lazzoli, médico do esporte, e Luiz Augusto Fonseca, imunologista e clínico geral)