Como voltar a correr após uma lesão

Atualizado em 20 de dezembro de 2017
Mais em Treinamento

Todo corredor foge das lesões. Ninguém quer ter seu desenvolvimento atrapalhado pela necessidade de parar por alguns dias ou até semanas. Mas imagine que isso aconteça. Após um período de tratamento e a liberação médica, a ansiedade para retornar aos treinamentos é natural. Mas ela (também) pode atrapalhar. A calma e alguns outros detalhes são fundamentais para você voltar às atividades e, assim, evitar retorno e (até) uma nova lesão.

leia-mais-cinza
icon texto_menor  RETORNO GRADUAL 

icon texto_menor  APRENDA A EVITAR E TRATAR O ESTIRAMENTO MUSCULAR 

1. Retorno é tão importante quanto o tratamento

A volta aos treinos precisa de tantos cuidados quanto o trabalho de reabilitação e a recuperação total da lesão. Assim, não adianta pular etapas e, por fim, voltar a se prejudicar.

2. Cuide região machucada

Para assegurar que a região lesionada não volte a sofrer – principalmente em uma lesão muscular –, é importante fazer o trabalho de fortalecimento do músculo. Musculação e exercícios funcionais  são os mais indicados.

3. Equilíbrio muscular

A lesão pode ter atingido apenas uma das pernas. Isso não quer dizer que o corredor não precise trabalhar o fortalecimento da outra. O organismo tende a sobrecarregar o membro que não sofreu a lesão como forma de proteção. Ou seja, se a perna “boa” não for fortalecida, você pode acabar tendo os mesmos (ou outros) problemas que a outra.

4. Primeiros treinos

Priorize terrenos mais planos e em superfícies estáveis. Dessa forma, as chances de sofrer uma entorse – já que a musculatura está fragilizada – diminuem. Assim, a sobrecarga nas articulações, como os joelhos e tornozelos também é reduzida.

5. Readquira seu ritmo. Não volte nele

Um dos erros mais comuns no retorno de uma lesão é acreditar que se pode treinar como antes. Independente do período afastado dos treinamentos é importante que você não se apresse para retomar a forma física. Desse modo, evitará sobrecarregar sua musculatura e articulações.  E manterá afastado o risco de outra lesão e mais um tempo de molho.

6. Treino + repouso

Na volta aos treinamentos, evite emplacar dois dias seguidos de corrida. Um dia de treino e outro de descanso ajudará o sistema musculoesquelético na readaptação ao esporte.

7. Aqueça e alongue

Antes de começar os treinos, faça um aquecimento leve e alongue a musculatura para preparar o corpo à atividade física. Esses procedimentos ajudam a evitar lesões

8. “Corra” com o médico, fisioterapeuta e treinador

Mantenha esses profissionais sempre informados sobre a sua evolução nos treinos, pelo menos, nas primeiras seis semanas – pode variar de acordo com a gravidade da lesão. A qualquer sinal de desconforto na região antes lesionada – ou em qualquer outra parte do corpo –, é importante suspender a atividade e procurar um deles.

(Fonte: Rogério Carvalho, diretor técnico da UPfit assessoria esportiva, de São Paulo)