Desidratação a serviço da velocidade

Atualizado em 28 de abril de 2016
Mais em Performance

Um estudo da Universidade do Oregon (EUA) identificou que treinar sem se hidratar imediatamente em dias quentes pode fazer com que o corredor desenvolva melhor performance. Segundo os especialistas, isso provoca uma reação do organismo que aumenta o volume de sangue nas artérias, facilitando a obtenção de células vermelhas, ricas em oxigênio para alimentar a musculatura. Dessa forma, o corredor consegue manter o ritmo mais veloz por mais tempo.

Para os cientistas, a tática é capaz de proporcionar maior velocidade quando há comparação com corredores hidratados. A técnica também pode ser seguida por corredores amadores. Mas cuidado: a desidratação pode provocar estresse circulatório, o que gera maior desgaste do coração para bombear o sangue.

Vale o risco?
O treinador Renato Dutra comenta que atletas de elite acabam enfrentando períodos de desidratação por conta do volume de treino. Mas acha a prática arriscada. “Ao fazer isso, o atleta entra em uma zona de risco à saúde. Eu não aplicaria a técnica em atletas profissionais, muito menos em corredores amadores”, argumenta.

Muita cautela e água
Se decidir experimentar a técnica, esteja sempre preparado para qualquer emergência (leve com você água, dinheiro e telefone celular). Caso sinta dor de cabeça, tontura, cãibras, confusão mental, irritabilidade ou fadiga, pare imediatamente, abasteça-se com bastante água ou isotônicos.