Meia-Maratona de Londres: Melhor do que nunca

Atualizado em 26 de abril de 2016
Mais em Papo de Corrida

Apagada a chama olímpica, a Londres clássica do Big Ben, da Tower of London, do Hyde Park, do ônibus vermelho de dois andares, dos táxis pretos e da cerimônia da troca da guarda da rainha continua no mesmo lugar. A diferença é que os cerca de 600 mil turistas que invadiram a capital britânica nas duas semanas das Olimpíadas de Londres-2012 já voltaram para casa, deixando para quem chega agora uma cidade mais aconchegante e repleta de melhorias — do sistema de transporte, ainda mais eficiente, ao Parque Olímpico, em Stratford, a 10 km do centro, que começa a ser aberto à população, rebatizado como Queen Elizabeth Park. Sem contar que para nós, brasileiros, com o câmbio razoavelmente favorável, em muitos aspectos o país está mais barato que destinos nacionais.

Não é difícil perceber as mudanças na cidade. A começar pela linha do horizonte, na qual a catedral de St. Paul deu lugar ao gigantesco The Shard, o edifício mais alto da Europa, com 87 andares. Em forma de pirâmide, e inteiramente revestido de vidro, o prédio tem 310 metros de altura e um mirante ao ar livre que, quando estiver aberto, a partir de 1º de fevereiro de 2013, oferecerá 360 graus de vista para a cidade ao preço de £ 24,95 (cerca de R$ 85). Nos esportes, a cidade continua no ritmo dos Jogos Olímpicos. Para os fãs da corrida, no dia 7 de outubro Londres acontece a Royal Parks Half, ou Meia-Maratona de Londres, prova em que tudo é motivo de encanto: o cenário, a organização impecável, o clima agradável — já que é disputada no início do outono — e o percurso — os 12.500 corredores largam do Hyde Park, logo entram no Green Park, bem próximo ao Palácio de Buckingham (residência oficial da Rainha Elizabeth II), e na sequência passam por alguns dos marcos históricos mais emblemáticos da capital. Difícil é não querer voltar no ano seguinte.

País: Inglaterra

Prova: Royal Parks Half, ou Meia-Maratona de Londres

Data da prova: 12 de outubro de 2014

Site: https://royalparkshalf.com/

O que visitar

Wallace Collection

Museu que abriga uma respeitável coleção de quadros e móveis franceses e holandeses do século 18. Fica na Manchester Square, bem próximo à Bond St.

Royal Academy of Arts

Centenária (foi fundada em 1768),fica no coração de Londres (Piccadilly) e, além de grandes exposições, promove cursos de arte e workshops e tem um ótimo restaurante.

Globe Theatre

Reconstrução (no mesmo local do original) do teatro onde William Shakespeare encenou, possivelmente, as suas primeiras peças. Fica na margem do rio Tâmisa, ao sul de Londres.

National Gallery

Uma das melhores pinacotecas do mundo, com obras de Vermeer, van Eyck, Rafael e Turner. Fica na Trafalgar Square e a entrada é grátis!

Courtaulds Gallery

Museu pequeno — e um pouco fora do fluxo turístico — situado na Strand (a uma quadra do Savoy Hotel). Tem uma ótima coleção de impressionistas.

Tate Modern

Museu de arte moderna mais visitado do mundo. Para chegar lá, desça na estação St. Paul’s (aproveite para visitar a catedral de St. Paul) e atravesseo rio Tâmisa pela Millenium Bridge.

Open Air Theatre

Localizado no Regent’s Park, é o maior e mais tradicional teatro aberto de Londres. No verão, rolam peças à luz do dia em duas sessões diárias: às 11 horas da manhã e às 4 da tarde.

Cavern Club

Quem gosta dos Beatles não pode deixar de dar um pulo a Liverpool (2 horas de trem) e visitar o Cavern Club, onde tudo começou.