Futuro assegurado

Atualizado em 26 de abril de 2016
Mais em Papo de Corrida

Por Karina Dias

O programa Atleta SulAmérica foi criado em 2005 e, logo de cara, já contava com 180 participantes — hoje são cerca de 220 funcionários e colaboradores que são incentivados a usar a corrida como esporte. Desde o começo, o objetivo dos criadores foi melhorar a qualidade de vida e mostrar que todos podiam ser atletas se se esforçassem para isso. “Antes, imaginava-se que apenas quem tivesse um perfil atlético podia praticar corrida. Mas hoje é cada vez mais difundida a percepção de que qualquer pessoa pode se tornar um atleta, com o acompanhamento e os cuidados adequados”, diz Patrícia Coimbra, diretora de Capital Humano. Para participar, os candidatos devem consultar um cardiologista, além de apresentar um exame médico completo mostrando aptidão. Logo após, são apresentados a uma palestra que visa orientar e tirar dúvidas sobre o programa. Daí, pé no asfalto! “O esporte trouxe para a minha vida valores para os quais não dava importância. Não é apenas uma atividade física, mas uma forma de ter uma relação diferente com a vida”, fala Décio Grisolia Coracini, gestor comercial. Diversos participantes perderam peso com a prática da corrida e isso teve reflexo direto na saúde e na autoestima. “A corrida vem me ajudando na busca por uma melhor qualidade de vida e a diminuir alguns sintomas indesejáveis por conta da rotina pesada”, finaliza Wagner Vieira, analista de Sinistro Saúde.

Grupo de corrida SulAmérica

Cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Fortaleza
Número de funcionários: 5.000
Quantos correm: 220
Quando implantou a corrida: 2005
Quem treina: Inthegra, Run&Fun e Diogo Porto Assessoria

(Matéria publicada na Revista O2, edição 151 de Dezembro, de 2015)