Estudo: posição dos braços influencia a corrida

Atualizado em 27 de abril de 2016
Mais em Papo de Corrida

Existe uma posição certa dos braços, para que você possa se beneficiar da corrida sem causar nenhum dano a sua postura – e ao desempenho. Segundo um estudo recente, publicado no The Journal of Experimenlateral Biology, pesquisadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, descobriram que “bombear” os braços (indicá-los para frente, ao lado do corpo ) pode reduzir o custo metabólico do corpo, o que implica em melhora do equilíbrio postural e de gasto energético.

leia_mais
COMO DEVE SER O MOVIMENTO DOS BRAÇOS

Para a análise, 13 corredores adultos e experientes, de ambos os sexos, foram convidados para fazer alguns testes. O primeiro consistia correr em esteiras com máscaras, para registrar quanto oxigênio inspiravam e quanto dióxido de carbono liberavam. Tais medições estabelecem o gasto de energia.

No segundo, os corredores correram em ritmo confortável, enquanto mantinham os braços em sua posição que costumam correr, e em três outras posições incomuns: ora com os braços caídos atrás das costas; ora com os braços cruzados no peito e, também, segurando as mãos, com os dedos entrelaçados, na nuca.

Por fim, os pesquisadores acompanharam os corredores com filmadoras tridimensionais de captura de movimento. Vestidos com marcadores reflexivos nos ombros, tronco e pernas, os voluntários repetiram quatro variações de posicionamento dos braços. Desta forma, chegaram à conclusão de que os corredores que gastaram menos energia e obtiveram melhor desempenho foram aqueles que correram com a posição habitual, ou seja, com os braços balançando na lateral do tronco.

Com as filmagens, os pesquisadores também perceberam que, em relação às outras posições, manter os braços atrás das costas exigiu 3% a mais de energia do que correr normalmente; cruzá-los custou 9% a mais e, deixá-los atrás da cabeça demandou mais 13%.

Apesar de parecer previsível esta análise, os estudiosos mostraram porque posições “excêntricas” dos braços não são eficazes: quando os corredores não balançavam os braços, na posição normal, eles não conseguiam contrabalançar de imediato a ação de pêndulo das pernas, fazendo com que perdessem o equilíbrio e consumindo mais energia.

Mesmo sendo improvável que alguém corra com as mãos na cabeça, por exemplo, o estudo enfatiza que se deve usar o balanço dos braços da forma que for mais eficiente – e confortável – para você. Isso mostra que, se você movimenta os braços levemente à frente do peito durante a corrida, a sua eficácia não será afetada.