Correr o X-Terra fez minha frequência cardíaca ficar elevada

Atualizado em 26 de abril de 2016
Mais em Papo de Corrida

Mesmo depois de anos de corridas nas pernas e algumas passagens por pódios em corridas de montanhas, estar e correr em alguns dos principais eventos deste ramo no mundo, como o The North Face Ultra Trail Du Mont Blanc e El Cruce de Los Andes, ainda faz minha frequência cardíaca ficar elevada. Era mais uma corrida em trilha que estava participando, era só uma de 50 km no ano, era mais uma vez que meu corpo seria exposto ao tempo, mais uma corrida em trilha onde eu ficaria por horas antes de cruzar a linha de chegada…

Mas a 6º etapa do X-Terra The North Face Endurance 50 km – Búzios – Rio de Janeiro – Brasil era diferente. Depois de cruzar a linha de chegada na etapa anterior, em Tiradentes-MG, quase com zero de energia, onde até a cabeça pesava para dar um simples aceno na chegada, a missão Búzios era mais do que cruzar a linha de chegada.

Essa etapa de Búzios tinha que retomar minha afirmação, meu poder de superação, tinha que aguçar, cutucar e explorar o que mais me deixa ser diferente: ousadia de estar e saber lidar com o estado de desconforto que inevitavelmente, nós montanheiros, carregamos ao longo da prova. E nesse ponto, a ajuda da 4 Fuel, minha nova patrocinadora de suplementos alimentares, me ajudou.

leia-mais-cinza
icon texto_menor  MARATONA DE BS. AS: A PRIMEIRA A GENTE NUNCA ESQUECE
icon texto_menor  MADAGASCAR: “NÃO CONSEGUI SEGURAR AS LÁGRIMAS”
icon texto_menor  BUENOS AIRES: QUANDO O TEMPO É O QUE MENOS IMPORTA

Dada a largada, eu já sabia o que tinha que fazer, o resultado que tinha que obter, o ritmo de tinha que administrar, a água que tinha quer beber, mas fazer isso por horas e horas e com um sol de deserto se tornou uma tarefa difícil, onde o se superar era o desafio da vez. Em nenhum momento o foco foi menor do que estar em primeiro lugar.

Ao cruzar o km 35 na segunda posição, o foco de vencer estava em cada curva ou final de trilha, acelerei tudo que tinha, e um pouco mais, cruzei a linha de chegada, vibrei como nunca, chorei como sempre e com a minha bandeira do Brasil na mão pude mais uma vez expressar e deixar para todos que ali estavam que não precisa ser americano para ser patriota, basta ser brasileiro e ter orgulho de ser.

Tenho em minha mente, o que é meu é meu, o que tem que ser, será, pró ou contra.

No final da prova o atleta que havia chegado em 1º foi desclassificado e eu herdei sua posição da prova, com isso consegui fazer os 100 pontos da vitória e, consequentemente, me tornei o campeão da prova e o campeão do ranking dos 50 km 2014. Pense em um cara que recebe a notícia 1 hora antes da premiação e não conseguiu ficar dentro de si…

Galera, com minha camiseta, meu short, meu tênis, minha mochila de hidratação, minha bandeira, meus patrocinadores, meus seguidores, meus amigos, minha família e com o título do X-Terra The North Face Endurance 50 km – Búzios, nós vamos para Califórnia – São Francisco, EUA, correr livre, neste que pode ser considerado o mundial do The North Face, sobre as montanhas em 2015.
Ufa.
Obrigado.

José Virginio de Morais
Campeão do X-Terra The North Face Endurance 50 k – 2014.

Você também quer contar sua história em uma prova bacana? Mande um e-mail com o assunto “Eu fui”  contando todos os detalhes da prova e com fotos do percurso. Quem sabe você não é o próximo a aparecer na O2 Por Minuto?

icone-foto

[nggallery id=69]