Rússia pode ter escondido doping

Atualizado em 30 de maio de 2017
Mais em Notícias

Um documentário exibido pela TV alemã ARD na última quarta-feira (3 de dezembro) traz importantes denúncias sobre a comissão de atletismo da Rússia e a maratonista Liliya Shobukhova. Na matéria, o suposto uso sistemático de doping e a corrupção para esconder a prática ilegal no esporte russo são investigados. Com o título “Segredo oficial do doping: como a Rússia cria seus campeões”, a reportagem traz entrevistas com atletas e pessoas ligadas ao esporte no país, as quais mostram dados bastante importantes sobre o caso.

Segundo as informações, a tricampeã da Maratona de Chicago, Liliya Shobukhova, teria pago US$ 450 mil, o que equivale a cerca de R$ 1 milhão, para que a Federação Russa de Atletismo encobrisse seu teste positivo de doping, após a atleta se ver ameaçada de ficar fora dos Jogos Olímpicos de Londres 2012. A russa chegou a correr a maratona olímpica, mas não conseguiu terminar a prova.

Ainda de acordo com a reportagem, quando Shobukhova foi banida do esporte, em abril de 2014 (e quando todas as suas vitórias em Chicago foram cassadas, além da vitória na Maratona de Londres (GBR) em 2010), seu marido teria recebido um reembolso de US$ 370 mil do presidente da Federação, Valentin Balakhnichev, que também é o tesoureiro da IAAF (Federação Internacional de Atletismo). O caso está sendo investigado pela IAAF.

As denúncias continuam
Além da maratonista, Mariya Savinova, campeã olímpica dos 800 metros nos Jogos Olímpicos de 2012, também foi acusada. Neste caso, a atleta chegou a admitir o doping com esteroide oxandrolona através de um vídeo feito pelo celular.

Outros esportes russos que também teriam casos similares são natação, biatlo, ciclismo, levantamento de peso e esqui cross-country.