Quênia faz a festa em SP e Amsterdã

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Notícias

Só deu Quênia nas maratonas no domingo (19 de outubro). Em São Paulo e em Amsterdã (Holanda), os fundistas do país africano mostraram mais uma vez que estão um nível acima dos demais rivais. Na maior cidade do país, Paul Kangogo e Daniel Limo garantiram a dobradinha queniana nas maratonas. O brasileiro Edmílson Santana completou o pódio.

Esta foi a décima primeira vitória do Quênia em 20 edições da Maratona Internacional de São Paulo. Em uma manhã ensolarada e seca na capital paulista, Kangogo completou o percurso de 42 km em 2h14min18s. Daniel Limo cruzou pouco depois, com o tempo de 2h14min37s. Já o brasileiro Edmilson Santana fechou o pódio após 2h20min20s.

Festa queniana no masculino, festa queniana ainda maior no feminino. Campeã em 2012, Rumokol Chepkanan conquistou o bi ao completar o percurso em 2h42min29s. As compatriotas Jane Seurey (2h43min31s) e Fridah Lodepa (2h45min44s) completaram o pódio. Mais de 18 mil corredores participaram da Maratona de São Paulo.

Em Amsterdã, quem fez a festa foi o queniano Bernard Kipyego, que em sua primeira participação na maratona da capital da Holanda quebrou seu recorde pessoal, completando o percurso em 2h06min20s. Seus compatriotas Lucas Rotich (2h07min18s) e John Mwangangi (2h07min28s) fecharam o pódio.

O brasileiro Solonei da Silva fez uma boa prova, chegando a acompanhar os líderes em determinado momento. Terminou na 10ª posição, em 2h17min23s, conquistando o índice para o Campeonato Mundial de 2015, na China.

Os brasileiros Marílson Gomes dos Santos e Franck Caldeira não completaram a prova.

Na prova feminina a vitória ficou com Betelhem Moges, da Etiópia (2h28min35s). A queniana Ogla Kimaiyo cruzou na segunda posição, dez segundos após a campeã, seguida de Diane Nukuri Johnson (2h29min35s), de Burundi.