Doping: treinador americano se defende

Atualizado em 30 de maio de 2017
Mais em Notícias

Passada uma semana das  acusações de envolvimento com doping  feitas pela  rede britânica BBC  em parceria com a  ProPublica  virem à tona, o treinador norte-americano e coach de Mo Farah, Alberto Salazar, resolveu se pronunciar. Em entrevista ao  The Guardian, o tricampeão da  Maratona de Nova York  e atual treinador do Nike Oregon Project (NOP) insistiu que vai mostrar que as acusadores feitas são falsas e que ele  não está envolvido em nenhum caso de doping. “Dado o tempo e o esforço que a BBC e a ProPublica empenharam para fazer essas alegações falsas, eu espero que a mídia e os meus fãs permitam que eu tenha um pouco de tempo para mostrar que os acusadores fizeram, intencionalmente, declarações mentirosas. Vou documentar e apresentar os fatos o mais rápido que eu puder para que Galen Rupp e Mo Farah possam se concentrar em fazer o que amam e que têm trabalhado duro para conseguir.”

Rupp, outro de pupilos de Salazar, é o principal nome envolvido no  caso revelado pela BBC. Isso porque, de acordo com o documentário da rede britânica, o atleta supostamente teria ingerido substâncias proibidas para o aumento de performance desde os 16 anos. Tudo, supostamente incentivado pelo técnico Salazar. Já Mo Farah, mesmo não sendo citado no caso,  mostrou-se bastante abalado, chegando a abandonar o GP de Birmingham, do qual participou no último fim de semana.

Salazar reiterou sua opinião de que as alegações são imprecisas, improcedentes e que estão danificado injustamente sua imagem e de seus atletas. “Eu sempre disse que acredito em um esporte limpo, com trabalho duro e nego todas as acusações de doping. A BBC e a ProPublica apresentaram uma apuração imprecisa e infundada, com uma total falta de respeito com Galen e Mo.”

Entenda o caso
O  documentário apresentado pela BBC, na quarta-feira da semana passada (3 de junho), é fruto de mais de um ano de investigações do jornalista Mark Daly e traz informações de que Salazar estaria envolvido em diversos casos de doping. No filme estão declarações de ex-atletas e funcionários do centro de treinamento, sendo as mais impressionantes delas a de Steve Magness, que já foi treinador-assistente do NOP, quando trabalhou diretamente com Salazar, e a de Kara Goucher, maratonista americana que integrou a equipe de Salazar por sete anos.

Eles revelaram métodos pouco confiáveis que o treinador empregaria para que Rupp tivesse acesso a medicamentos para o tratamento de asma e de hipotireoidismo, sendo que a medicação seria ministrada sem receita, e, às vezes, sem que o atleta necessitasse de tratamento médico.

Apesar das revelações, nenhum dos atletas do NOP já falhou em testes de doping. Mas existem suspeitas sobre alguns dos métodos usados pelo técnico, incluindo o uso de esteroides proibidos para subverter o processo de Autorização de Uso Terapêutico (AUT), quando os fundistas podem usar drogas ou métodos ilegais, caso haja necessidade médica genuína.