7 maratonas, 7 continentes em...

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Notícias

Sete maratonas, sete continentes em sete dias! Os destinos: Union Glacier, Antártica; Punta Arenas, no Chile; Miami, na Florida; Madrid, Espanha; Marrakech, Marrocos; Dubai, Emirados Árabes Unidos; e Sydney, na Austrália. David Gething, de Hong Kong, conquistou o título. Marianna Zaikova, da Finlândia, foi a primeira e única mulher a completar a competição.

Sim, a World Marathon Challenge é um desafio para poucos. Participaram apenas dez corredores. Mas tinha um brasileiro lá. O aventureiro curitibano Marcelo Alves percorreu os sete desafios propostos na prova, nos sete continentes e com uma excelente performance: ele conquistou o quarto lugar na classificação geral.

Mais do que o desafio físico, correr as provas com grandes variações térmicas e geológicas num intervalo de tempo tão restrito, foi um desafio mental. “A classificação tem um peso menos importante em uma prova como essa. A sensação de provar que você consegue chegar ao último dia íntegro e com a cabeça cheia de experiências é muito gratificante e motivador”, diz Marcelo.

O World Marathon Challenge aconteceu pela primeira na história. O curitibano foi o único sul-americano a participar do desafio internacional. E a prova da Antártida foi a mais extrema. “Correr a menos 12ºC e sobre o gelo é uma experiência árdua e o intervalo entre esta primeira e a segunda etapa, em Punta Arenas, foi de menos de 24 horas, o que gerou uma fadiga excessiva”, explica o atleta. Além das poucas horas de sono (4 horas nas noites em que mais conseguiu dormir), dos inchaços e das dores musculares que necessitaram de tratamento com a equipe de enfermagem, Marcelo conta como é difícil (e importante) manter o foco mental e a determinação. “O corpo demonstra sinais de estafa, mas você jamais pode duvidar de si. A determinação e a certeza das suas capacidades são forças que te levam adiante.”

A prova acontece em sete dias seguidos e todos os atletas participantes largam juntos. Eles têm oito horas para completar cada uma das etapas. A maior parte do tempo entre as corridas é gasta na viagem, na recuperação e dormindo. A vitória geral fica para o corredor com o tempo acumulado mais rápido, que nesse caso foi Gething, com 25h36min3s. No total, foram 295 km corridos e o tempo médio das etapas foi de 4h27.