4 curiosidades sobre Maratona de Berlim

Atualizado em 05 de agosto de 2016
Mais em Notícias

A 41ª edição da Maratona de Berlim acontece no dia 28 de setembro. A prova é conhecida pelo seu percurso plano e rápido, o que possibilita a quebra de marcas pessoais e recordes mundiais. Uma das principais e mais procuradas provas do mundo, a Maratona de Berlim faz parte da World Marathon Majors, assim como as maratonas de Boston, Nova York, Tóquio e Londres.

Se você está se preparando para a prova, ou está pensando em (um dia) chegar lá, separamos alguns fatos sobre a maratona. Confira:

1. Brasileiros na prova
Os brasileiros aparecem em bom número na Maratona de Berlim. No ano passado, por exemplo, dos cerca de 44.500 atletas que se inscreveram, 546 eram corredores do Brasil. Elenilton Rangel foi o mais rápido, fechando os 42,195m em 2h35m55s, sendo o 106o colocado no geral. Marcelo Apovian, o Lelo,  foi o segundo brasileiro a cruzar o portão de Brandenburgo, com 2h36m29s, na 112a posição. No pódio verde-amarelo, o terceiro lugar no masculino foi de Josevandro de Jesus de Souza, com 2h41m17s, na 188a colocação.

Em 1998, outro brasileiro,Ronaldo da Costa, foi o primeiro atleta da história a correr uma maratona em uma média superior a 20 km/h.

2. Vencedores e recordes mundiais
O Quênia é o país com o maior número de vencedores no masculino, totalizando 13 vitórias. Já no feminino, a disputa foi vencida mais vezes pelas alemãs, com 15 vitórias. Os donos da casa venceram as sete primeiras edições, mas desde então amarguram um jejum de 33 anos.

No masculino, depois que o brasileiro Ronaldo da Costa cravou 2h06m05s para a distância (em 1998), só  houve uma nova marca (em 2003), a do queniano Paul Tergat, de 2h04m55s, quebrada em 2007 e 2008 pelo etíope Haile Gebrselassie com 2h04m26 e 2h03m59s, respectivamente. Em 2011, o recorde mundial masculino foi novamente quebrado, desta vez pelo queniano Patrick Makau, com o tempo de 2h03m38s. No ano passado, o também queniano Wilson Kipsang superou a marca anterior de seu compatriota, completando a distância em 2h03m23s e cravando um novo recorde mundial.

Já na prova feminina, ainda nos primórdios da maratona, em 1977, a pioneira fundista alemã Christa Vahlensieck foi a primeira a conseguir um recorde em Berlim, com o tempo de 2h34m48s. Depois, a queniana Tegla Loroupe marcou 2h20m43s, em 1999, e a japonesa Naoko Takahashi, campeã olímpica em Sydney 2000, completou a distância em 2h19m46s, em 2001, sendo a primeira mulher do mundo a correr a prova em menos de 2h20m.

3. Corrida para crianças
Pensando em incentivar a prática esportiva para os pequenos, os organizadores da Maratona de Berlim criaram a Bambini Run, destinada as crianças entre 0 e 10 anos, com percursos de 500 e 1000m. Com o slogan “Kids love to move” (“Crianças adoram se mexer”, em tradução livre), a ideia da Bambini Run é motivar as crianças para se divertirem do jeito que mais gostam: se mexendo. Sem tempos ou rankings, a ideia é deixar a criançada curtir os benefícios da atividade física.

4. Percurso
Com poucas curvas e percurso plano, os corredores começam no Siegessäule – ou Obelisco da Vitória (erguido em comemoração as vitorias militares entre 1864 e 1971) – e terminam no portão de Brademburg, uma antiga porta e um grande marco da cidade. Além disso, ao longo do percurso, várias bandas animam os corredores com músicas que variam de jazz a samba.

(Fonte: site da Maratona de Berlim – Página visitada em 13/08/2014)