Por que devemos variar o treino de corrida?

Atualizado em 27 de abril de 2016
Mais em Iniciantes

De acordo com o treinador Jefferson Brasileiro de Souza, os estímulos provocados durante os treinos geram um estresse, que, por consequência, provoca reações no corpo. “Na corrida de rua, esses estímulos vêm em forma de intensidade, ou seja, velocidade e força, e de volume, sendo que os dois devem ser inversamente proporcionais. Isto é, quando a intensidade for alta, o volume deve ser menor; já os treinos de maior distância devem ser feitos em menor velocidade”, explica.

Se um corredor treinar sempre a mesma distância e no mesmo ritmo, chegará um momento em que ele não vai mais ver uma melhora do seu rendimento, pois seu corpo já estará adaptado àquela situação. “Lembrando que, para ver resultado, os estímulos devem ser de intensidade média e forte, caso contrário não irão gerar mudanças”, esclarece o treinador.

leiamais-cinza-novo
icon texto_menor  BENEFÍCIOS DE UM TREINO COM VOLUME E INTENSIDADE
icon texto_menor  GANHE DESEMPENHO COM TREINOS DE 20 MINUTOS

Atletas de todos os níveis devem, portanto, variar o treino de acordo com sua condição física atual e seus objetivos no esporte. “Um atleta iniciante, por exemplo, que procura se preparar para participar de uma prova de 5 km deve sim fazer treinos de intensidades maiores, como subidas e tiros, em percursos mais curtos, e também treinos com distâncias mais longas, mas em velocidade menor”, afirma.

Mas tão importante quanto variar o treino é saber respeitar o tempo de descanso do corpo. “Essa pausa é fundamental para o processo de adaptação fisiológica, pois é nessa hora que o corpo reorganiza todas as suas funções em função desses novos estímulos”, finaliza.

(Fonte: Jefferson Brasileiro de Souza, formado em Educação Física e pós graduado em Biomecânica; trabalha há seis anos com corrida, triathlon e ciclismo)