Ouvir música em uma corrida: bom ou ruim?

Atualizado em 15 de março de 2021
Mais em Iniciantes

Muito se fala sobre ouvir ou não música durante uma corrida de rua. Não é raro encontrar atletas que adoram percorrer todo o trajeto na batida de sua banda preferida. Também tem aqueles que preferem focar, exclusivamente, na prova e que acham que a música pode atrapalhar seu rendimento.

Ou seja, o tema é bem difícil até mesmo para especialistas, que encontram pontos positivos e também negativos para a prática de ouvir música enquanto a pessoa corre. Veja alguns exemplos de como a música pode ajudá-lo e também como pode prejudicar seu desempenho.

PONTOS POSITIVOS

  • Ouvir música durante a corrida é um fator motivacional muito importante, principalmente, para os alunos iniciantes que ainda não aproveitaram de todos os benefícios da corrida.
  • Se as músicas e o playlist estão da forma que goste e o corredor é um performático, que ira respeitar as velocidades indicadas pelo treinador nos treinos e dar o seu melhor nas provas, ouvir música não será um problema.
  • Quando as distâncias aumentam, ouvir sua playlist pode ser uma excelente motivação para completar o percurso. A cada km e refrão, os benefícios da corrida irão aparecer e te ajudar a completar as longas horas de desgaste.

PONTOS NEGATIVOS

  • Um ponto prejudicial de ouvir música é a perda de ritmo (pace). Se durante o refrão da música o corredor se empolgar e acelera muito, corre o risco de “quebrar” antes da linha de chegada. Isso é muito comum também durante os treinos.
  • Seguir o pace (ritmo, velocidade) correto é muito importante durante o treinamento e para a estratégia de prova. Muitos especialistas recomendam “ouvir’ o corpo durante a corrida. É preciso, por exemplo, identificar, durante o percurso, se terá energia para aumentar a velocidade nos últimos quilômetros ou se vai sofrer para manter o ritmo.
  • Cuidado para não ficar cantando alto nas esteiras ou ruas durante uma prova. Isso, segundo especialistas, pode prejudicar sua respiração e, consequentemente, atrapalhar treinamento ou prova.

(Fonte: Lázaro Luiz Ramalho Ferreira, professor de corrida da Cia Athletica unidade Estádio do Morumbi, em SP)